Para resumir o assunto de hoje, um provérbio chinês: “mais vale um diamante imperfeito que um seixo sem defeito”. Perfeito! O fascínio que esta pedra exerce sobre qualquer mulher é grandioso. Quem nunca sonhou com um solitário diamante em sua mão direita talvez não acredite em mundo (ou príncipe) encantado. 
 
ERA UMA VEZ
Diamantes são diamantes, fazem parte da história do mundo e do Brasil, um dos maiores produtores do planeta. Mas quando o assunto é joalheria, a história tem seu ápice na abertura de minas de diamantes na África do Sul em 1871. Charles Lewis Tiffany, fundador da Tiffany & Co., adquiriu em 1877 um gigantesco e raro diamante amarelo de mais de 287 quilates escavado das minas Kimberley. Lapidado não para manter seu tamanho (128,54 quilates após a lapidação) mas sim para liberar seu rilho, este foi denominado de diamante Tiffany. 
 
BREAKFAST AT TIFFANY’S
“Não é que eu ligue para joias, a não ser diamantes, é claro!” A frase célebre foi dita por Holly Golightly, interpretada por Audrey Hepburn, no filme Bonequinha de Luxo (1961) ao se deparar com o colar Ribbon Rosette que exibia o diamante Tiffany de 128 quilates. Este foi desenvolvido pelo designer Jean Schlumberger especialmente para o filme. Se nossa eterna bonequinha estava certa ao dizer; “Nada de mal pode lhe acontecer neste lugar” eu completo dizendo: “Nada de mal pode lhe acontecer usando este colar.”
 
SIM, EU ACEITO!
Ela é considerada a princesa mais bonita da história, lenda do cinema mundial e ícone da moda. Grace Kelly, princesa de Mônaco, além de todos os predicados acima, recebeu em 1956 um icônico anel de noivado. Criado pela Cartier, o anel apresentava um diamante de 10,47 quilates em lapidação esmeralda e dois diamantes em lapidação baguete nas laterais capazes de deixar qualquer uma sem voz para aceitar o pedido.
 
FELIZES PARA SEMPRE
A Cartier uniu o seu destino ao das cortes do mundo inteiro. Presente em inúmeras cabeças reais, suas tiaras sempre admiradas se tornaram ainda mais desejadas após Kate Middleton (musa inspiradora de muitas plebeias) usar em seu casamento a tiara Halo, com 739 brilhantes e 149 baguetes, criada em 1936 e comprada pelo rei George VI para a rainha Elizabeth I.