Você é o tipo de pessoa que não abre mão do vermelho numa produção? Segundo pesquisa do Journal of Experimental Social Psychology, nos Estados Unidos, os homens não só preferem as mulheres que usam a cor da paixão, como se sentem mais à vontade para gastar dinheiro com elas.

A explicação para tal pensamento pode ser dada ao poder que o vermelho, ao longo da história, sempre representou. De acordo com a professora do Centro Universitário Una Lilianne Patrícia Soares Maia, o tom tornou-se na Roma antiga, a cor da nobreza, dos generais e imperadores.

“Era o emblema do poder, a cor da vida, mas também, a da morte. Seduz, encoraja, provoca e inquieta. Tem o atributo de estimular as forças e incitar o desejo. É a cor de Dionísio, o deus das festas e do vinho”, defende a professora.

Para Carol Malloy, uma das diretoras da marca Arte Sacra, o vermelho já se tornou um clássico na moda feminina, principalmente na moda festa. “O tom é quente, forte e deixa as mulheres realmente poderosas. É também atemporal e por isso aparece tanto no inverno, quanto no verão”, explica.

Para Ana Flávia Castro, diretora da marca Kalandra, a cor faz com o que a mulher se sinta poderosa, já que é associada aos sentimentos fortes. “Representa uma parcela específica em nossas coleções”.

Ana Flávia conta que tem vermelho para todo mundo. Há nuances ideais para cada mulher, com diferentes tipos de pele e de cabelos. Basta que a mulher goste da cor e se sinta bem”, ensina. Mesmo com as opiniões diversas, é preciso confessar que é um dos tons mais democráticos e cai bem para todas.

A proprietária e estilista da marca B. Bouclé, Bárbara Maciel, acha que o vermelho harmoniza melhor quando combina o tom da pele com o cabelo: “Acredito que é uma tonalidade que cabe para mulheres fortes, que queiram ser notadas”.

Bárbara explica que não existem restrições ao uso do vermelho, “a personalidade e o estilo são mais fortes do que qualquer regra imposta; nada pode ser visto como certo ou errado”.