O drama compartilhado pela maioria das mulheres que acredita não encontrar nada para usar no próprio armário é desmitificado pela consultora de imagem e estilo Juliana Brasil, de 31 anos. “Não precisa comprar o shopping inteiro para estar bem vestida. Na maioria das vezes existem boas opções no próprio armário. Tudo o que você precisa é de ter peças-chave que dão com tudo”, ensina a publicitária que atuou durante 10 anos na área e, em 2013, largou a profissão para se dedicar à empresa Juliana Brasil Consultoria de Imagem e Estilo.

Entre os curingas do guarda-roupa apontados por ela, figuram blazer de boa modelagem, jeans premium e camisa jeans. A lista da consultora contempla ainda saia na altura do joelho, calça flare, que deixa qualquer mulher elegante, e blusas de tecido nobre ou com detalhes preciosos. “Tenho muitas blusas com tecidos sofisticados, como seda, ou com algum detalhe, tipo bordado. Elas têm o poder de deixar o look diferente”.

Inspiração

O interesse pela moda não surgiu à toa. Juliana conta que a inspiração de trabalhar na área veio da própria família, se referindo à avó materna Ruth Brasil, que fazia roupas de alta-costura para as elegantes da cidade, e também à mãe Andréa Brasil, paisagista com outras habilidades artísticas, entre elas a costura. “A minha avó fez vestido de alta-costura para Marina de Freitas, esposa do ex-governador Rondon Pacheco. Convivi vendo ela (avó) receber as clientes e o barulho da máquina de costura dela nunca saiu da minha cabeça”. A boa lembrança motivou Juliana a pensar na semelhança da relação que as atuais consultoras estabelecem com suas clientes, assim como as antigas costureiras, a exemplo da avó Ruth (ela não costura mais).
“Além da questão da costura, tinha muito de contar a história da vida. É um pouco do que faço como consultora: conheço o dia a dia da cliente, o guarda-roupa dela, os ‘senões’, quais as principais dificuldades”.

Novidade

À bagagem de comunicadora Juliana agregou conhecimento em moda e muitas especializações. “Faço atendimento para pessoa física e também para empresas, com palestras ou consultoria específica para funcionários”, conta a moça que vai lançar, em meados de outubro, com a sócia Ana Andrade o workshop “redescobrindo seu closet”. “Vamos fechar as turmas de cinco alunos em dois dias de workshop (dois sábados)”, diz, emendando que as inscrições podem ser feitas pelo e-mail redescobrindoseucloset@gmail.com

“O minicurso vai oferecer análise de tipo físico (o que usar e o que evitar), apresentação dos sete estilos universais (teste de estilo), identificação de peças-chave, conteúdo sobre combinação de cores e função da terceira peça, como um colar que dá uma graça ao look”, enumera. Um minidossiê sobre o estilo e o tipo físico de cada aluno será entregue por e-mail.

Apesar de ainda pouco conhecida pela maioria das pessoas, a consultoria de imagem e estilo, segundo Juliana, é um campo explorado dentro das empresas, “preocupadas com a imagem dos funcionários mais que os próprios empregados. “O mundo corporativo está tão competitivo que os pequenos detalhes fazem a diferença. A imagem e a postura no trabalho vão contar pontos a seu favor”