“São tantos modelos, cores, materiais e detalhes de calçados que, pensando bem, não há mesmo como resistir. Temos mais é que explorar (e calçar) todas essas mulheres que habitam dentro de nós, dar vazão aos nosso outros ‘eus’..”. O recado está no livro “Sapato de Mulher – Um passeio pelo imaginário das brasileiras (editora Livre, com patrocínio e apoio do Ministério da Cultura).
 
E, por incrível que pareça, a mensagem retirada da publicação sintetiza as propostas dos calçados do inverno 2015. “As possibilidades de produzir calçados diferentes são muitas e o mercado se abastece de produtos diversos: tênis, bota de cano bastante alto, coturno, slippers, mocassins... Difícil é apontar o que não está na coleção do inverno 2015”, considera a designer Meline Moumdjian, coordenadora do Curso de pós-gradução em Calçados e Bolsas do Instituto Europeu de Design (IED).
 
Para ela, o alerta de tendência ampliou e isso se deve à comunicação globalizada. “Você assiste aos desfiles das semanas de moda, vê a novela (que no Brasil é uma fonte de referências de moda) e vive o inverno que nem começou...É um cruzamento de tendências...no meio de tudo isso, entra o papel do designer, que tem que criar e inovar”, destaca Meline.
 
Entre as novidades que movimentaram o mercado calçadista na Couromoda (feira do setor que aconteceu em meados de janeiro, em São Paulo), o crescimento da linha conforto. Meline cita o sistema de amortecimento com forro em gel e que proporciona muito mais conforto.
 
Marcas como a Azaleia, por exemplo, utilizaram material extra soft, que protege o calcanhar. Palmilhas macias também fazem parte dos calçados da Azaleia. Nos mocassins, anabelas, botas, sandálias e chinelos da Modare Ultraconforto, funcionalidade com cabedais em napa, camurça bastante macia (versão lisa ou com furos). Outros diferenciais da marca são espuma de proteção posicionada nos calcanhares, forro em cacharel soft, que percorre todo o cabedal internamente e palmilha de laminado de espuma, que proporciona boa distribuição do peso, diminuindo áreas de alta concentração de pressão na planta dos pés.
 
Junto com o bem-estar, o aspecto visual do calçado chama a atenção pela riqueza de detalhes. A marca Loucos & Santos apostou em franjas (que seguem com força), correntes, zíperes, fivelas e amarrações, elementos utilitários reunidos em um mesmo calçado. A Vizzano seguiu a mesma linha, mas com o uso desses elementos de forma mais comedida. Já na Dakota, são os detalhes em metal e pedrarias, correntes, rebites e zíperes que emprestam requinte a escarpins e botas (biker boots e over knee, de cano bastante alto).
 
Meline cita o couro box, com brilho que lembra laca; as camurças de aspecto envelhecido; e as texturas de couro de cobra, crocodilo e onça como as coberturas mais recorrentes do inverno. Mas o aspecto mais notório é o estilo masculino herdado de calçados como oxfords, mocassins, coturnos e a forte presença do solado tratorado. O azul deste verão estendeu sua atuação para o petróleo, mistura desta cor com verde escurecido. Eleito pela Pantone como o tom de 2015, o marsala rouba todos os holofotes.
 
XÔ FRIO – Ferragens douradas e fivelas emolduram o abotinado de bico arredondado Azaleia
 
LINHA CONFORTO – Da Moldare, bota com espuma de proteção nos calcanhares e forro soft no cabedal 
 
COBERTURA CROCO – O preto realça o lado mais dark da coleção da Dumond
 
TEM QUE TER - Escarpim Jorge Bischoff mixa vermelho tomate em couro onça com textura de cobra
 
EFEITO ESPELHADO – Referências masculinas e brilho no abotinado de salto grosso da Dumond