Calças de cós alto, saias e vestidos marcando a cintura e com modelagem evasê ou godê estão entre as peças preferidas da estilista Júlia Zingoni, que assina há três anos as coleções da Água Fresca (marca de lingerie). A moça, de 25 anos e jeitinho doce, não esconde o estilo lady like de se vestir, identificado por ela como romântico-criativo. “Talvez por trabalhar com lingerie, a delicadeza da peça influencia o meu modo de vestir”, justifica Júlia, que é fã de blazer quando o assunto é compor look de trabalho. 
 
Adepta da roupa com conforto, ela adora misturar em seus looks peças do homewear da Água Fresca. “Esta calça, por exemplo, é confortável para o dia inteiro sem perder o luxo”, aponta para a peça em poliamida e estampa de onça. 
 
Regatas de cetim também são queridinhas no closet de Júlia. “Às vezes, pego peças da linha noite, como camisolas de cetim da Água Fresca, e misturo com blazer e salto”.
 
Inteligente e cheia de planos, a filha de Juliana Moraes (empresária e diretora da Água Fresca) viaja bastante – de dezembro de 2013 a agosto de 2014 fez mestrado em Moda na Stockholm University, em Estocolmo, onde também estagiou na Elle Sverige.
 
 
Uma história de amor
 
 
Leituras, músicas e filmes são constantes fontes de inspiração para desenvolver as criações da Água Fresca. Depois de 15 dias em Paris, onde participou da Interfilière (feira de lingerie 25 a 26 de janeiro) e da Première Vision (10 a 12 de fevereiro), ela voltou com a cabeça cheia de ideias e muito empolgada com as rendas de texturas diferenciadas. “O conceito da coleção verão 2016 da Água Fresca será voltado para o aspecto feito a mão e também para as Olimpíadas no Brasil”, adianta, emendando que a coleção de inverno 2015 da marca já está pronta. 
 
A intensa rotina da estilista, que divide o dia entre as atividades na fábrica da Água Fresca e aulas (de italiano e do curso de Design Gráfico pela Fumec) fez com que abandonasse o salto. “Uso salto só em ocasiões especiais. Não gosto de nada que me limite. Sou dinâmica”. Apaixonada por sapatilhas (cada uma mais linda que a outra), a xodó de seu closet é uma Emilio Pucci (foto à esquerda). Apesar de torcer o nariz para regras na moda, Júlia não usa peças retas nem com brilho. “É por causa de meu biotipo. Tenho ombros largos. Também não tem essa história de abominar alguma roupa”, fala com bom-humor a moça que foi nadadora profissional dos 13 aos 19 anos.

Uma história de amor