Conteúdo de inteira responsabilidade do Dr Jean

Muitas vezes silenciosas e assintomáticas, as inflamações estão por trás de um grande leque de doenças, incluindo câncer, problemas cardiovasculares e até mesmo depressão. Desencadeado por um estilo de vida sedentário e a ingestão de alimentos processados ou ricos em substâncias inflamatórias, esse processo de reação do corpo a “invasores”, quando descontrolado, traz sérios danos à nossa saúde.

“Os processos inflamatórios são os que mais causam prejuízos ao nosso corpo atualmente. O infarto é uma inflamação das coronárias que, junto com a gordura, provoca o trombo”, afirma o médico ortomolecular Jean Eldin.

Ele explica que um processo inflamatório é uma reação do organismo a agentes invasores. Células do nosso sistema imune, como macrófagos e linfócitos, entram em ação para combater corpos estranhos, que podem ser vírus, bactérias, alguma lesão física como um trauma no joelho. 

Até certo ponto, as inflamações são uma resposta importante e bem-vinda do nosso corpo a esses agentes. Mas elas podem se tornar um problema sério para o organismo quando essa reação ocorre de forma exagerada, alerta Dr Jean Eldin.

Ele faz analogia a uma guerra: o exército que vai defender um território acaba atacando, além dos inimigos, também civis - ou seja, células saudáveis. 

O sinal vermelho acende quando esse exército de defesa confunde tropas inimigas com os seu próprios integrantes, e as destrói. Um exemplo clássico é a tireóide de Hashimoto, uma doença autoimune em que os anticorpos investem contra a glândula e tentam destrui-la. Essa é uma das principais causas de hipotireoidismo. 

Toda essa explicação é importante, segundo o médico, para que as pessoas entendam como funciona o organismo e tenham atenção com um dos principais fatores causadores de inflamações no nosso corpo hoje: um estilo de vida sedentário, em que produtos industrializados têm sido os grandes vilões, além de alimentos que, mesmo naturais, podem provocar inflamações.

Um exemplo é o trigo, cuja composição é formada por 20% de glúten.  “Não conseguimos digerir essa proteína quando chega no intestino. As células incham e abrem, e acabam dando passagem a restos de bactérias, vírus e vai tudo para a corrente sanguínea. Esses restos chegam à tireoide, causando hipotiroidismo; chegam no cérebro, que fica mais cansado e letárgico; e no coração, inflamam as coronárias”, explica o médico. 

O trabalho de desinflamar o organismo é um dos pilares da medicina ortomolecular. “Temos um exame, o PCR, que é um marcador de inflamação do paciente. Quando ele está ligeiramente elevado, é indicador de um risco cardiovascular futuro. Claro que se a pessoa está gripada ou com algum problema de saúde pontual, isso deve ser levado em conta”.

A medicina ortomolecular tem crescido muito no mundo por trabalhar o individuo como um todo, ocupando lacunas deixadas pela medicina convencional especializada. 

Seu diferencial está na avaliação dos sintomas clínicos e subclínicos apresentados pelo paciente com suas peculiaridades individuais, somadas às condições ambientais (laborativas, emocionais, hábitos de vida, alimentares, exposição a xenobióticos).
 
Essa modalidade de tratamento acrescenta aos tratamentos específicos de cada doença os 45 nutrientes básicos ao metabolismo, caso sejam necessários, após a realização de uma extensa gama de exames profundos.

Veja os principais fundamentos da Medicina Ortomolecular:
- Na Bioquímica Celular e Molecular (que estuda as substancias que estão presentes no organismo humano e as reações químicas que ocorrem entre elas);
- Na Fisiologia Humana (que estuda o funcionamento dos órgãos e sistemas humanos e a relação entre eles);
- Na Fisiopatologia Humana (que estuda como se desenvolvem as doenças);
- Na Nutrição Celular (que estuda as substancias necessárias ao funcionamento normal do organismo humano);
- Esses pilares são as bases de qualquer outra área médica.

Dr Jean Eldin Post HD
 O médico Jean Eldin é especializado em medicina ortomolecular e nutrologia

Sobre o Dr Jean Eldin
Formado em Medicina pela Unifenas, o médico Jean Eldin é especializado em medicina ortomolecular e nutrologia, com grande experiência na área de emagrecimento. Com mais de 10 mil pacientes atendidos, ele ensina que, para emagrecer, não basta investir em dietas e remédios. Isso pode até trazer um resultado por um certo tempo, mas, a partir do momento em que você enxerga sua vida como um todo e investe em cada área, a mudança passa a ser física, mental, emocional e até mesmo espiritual. Dr Jean costuma dizer que, no consultório, é fundamental entender o meio em que seus pacientes vivem, funções que exercem no dia a dia, sua rotina, o que pode impactar diretamente suas condições emocionais. “Suas atitudes no dia a dia fazem você”, ele afirma sempre, defendendo que é preciso assimilar tudo isso para viver em plenitude, com saúde e consequentemente, no peso ideal para o seu corpo. Filho de médico, ele tem como premissa que, para estar bem consigo mesmo, o indivíduo precisa se tratar em sua totalidade. É preciso considerar aspectos físicos, mas também emocionais e espirituais.

Redes sociais: 
Instagram: drjeaneldin
Facebook @drjeaneldin