Henrique Lucca não esquece o dia em que, numa de suas apresentações em Belo Horizonte, avistou o cantor e guitarrista Toninho Horta entre os presentes. “Ele é um monstro da harmonia no mundo. Em suas músicas, cada sílaba é uma nota diferente”, registra o compositor de 26 anos, nascido em João Monlevade, que se ressentiu, naquele momento, de não ter um CD à mão para entregar ao mestre.

Esse erro ele não quer cometer mais. Apaixonado pela música desde os 12 anos, por influência de pais e avós, Lucca prepara o lançamento do CD “Sonho para Acompanhar”, reunião de oito canções autorais de variados estilos, da MPB ao blues, passando pelo rock. Essa diversidade tem a ver com a maneira como ensina música para seus alunos.

Professor de guitarra, violão e canto na região do bairro Eldorado, em Contagem, Lucca não incute suas preferências aos pupilos. “Eu criei um método particular em que as pessoas não são direcionadas. Ao contrário. Elas aprenderão dentro de seu próprio estilo”, registra. 
 

Outra grande influência para Lucca é Lenine, que “revolucionou até o jeito de tocar” do artista mineiro 


O início na música foi bem assim, livre, em que aproveitava a ida à casa de um amigo para tocar violão, enquanto os demais jogavam videogame ou entravam no Orkut. “Por dois anos, não saía da casa deste amigo por causa do violão. Lembro que a primeira música que eu consegui tocar foi ‘Wish You Were Here’, do Pink Floyd.

“sonho para acompanhar” contará com oito músicas autorais de estilos diversos
Professor de guitarra, violão e canto na região do bairro Eldorado, em Contagem, Lucca evita influenciar alunos


Depois, aos 14, comprei o meu violão, um Michael”, recorda. Dois anos mais tarde, veio o primeiro show, em que tocava bossa nova num violão com cordas de aço, já demonstrando o seu flerte com o rock, especialmente o nacional.

Em “Sonho para Acompanhar”, o cantor e compositor homenageia familiares, ex-mulher e amigo falecido


Aos 20 anos, já era guitarrista solo da banda Autentic Rock, que começou apresentando cover de rock feito no Brasil e no exterior. “Entrei para ser o guitarrista base, mas logo virei o solo e também a cantar as músicas nacionais”, conta. Da demo que fizeram, todas três músicas são de autoria de Lucca. Agora, numa nova roupagem, estarão presentes em “Sonho para Acompanhar”.

Uma delas, “Olhares Injustos”, ganhou arranjos mais leves, embora o vocal traga algo de visceral. Cada música, por sinal, tem uma história. “Tenho Medo”, por exemplo, foi composto aos 15 anos pensando na então namorada.

Já os avós são homenageados em duas canções: o baião “Branco Preto” e “Tião e Maria”, de estilo groove, com pitadas de rock. “Presença” foi imaginada como um adeus para um amigo que faleceu de leucemia, aos 26 anos. O álbum será lançado no próximo ano em plataformas digitais e também em disco físico.

SERVIÇO
Henrique Lucca – Para shows e aulas de guitarra, violão e canto. Contato: (31) 97343-1559