O ano de 2020 trouxe vários desafios para a humanidade, com reflexos no sistema de saúde de vários países e na economia global. Mesmo com tantas dificuldades, o setor da construção civil conseguiu superar obstáculos e trouxe um respiro para a economia brasileira com a geração de emprego e renda, especialmente em Minas Gerais. Nesse contexto de mudanças e necessidade de inovação, o Minascon, tradicional evento do setor, traz uma intensa e completa programação em um novo formato: 100% digital.

“O Minascon traz o conhecimento para diversos profissionais. O objetivo desse evento é ajudar as empresas a darem um salto de produtividade, contribuindo para gerar renda para nossa sociedade. Vejo a construção civil como um segmento que vai redimensionar a indústria e a economia brasileira”, afirmou o presidente da FIEMG, Flávio Roscoe, durante a abertura oficial da 17ª edição do Minascon.

Em Minas Gerais, nos primeiros oito meses do ano, a construção civil foi o setor que mais gerou novas vagas com carteira assinada, foram 16.911. Em Belo Horizonte, a construção civil foi o único setor, no período de janeiro a agosto de 2020, que registrou resultados positivos. Toda essa robustez foi destacada pelo governador de Minas Gerais, Romeu Zema. Segundo ele, o poder público tem o dever de apoiar o setor. “O governo do estado não pode criar dificuldades para empreendimentos que gerem trabalho, pois a dignidade só será obtida com um emprego que pague o sustento do cidadão”, reforçou Zema.

Jeferson de Paula, CEO da ArcelorMittal Aços Longos Latam e Mineração Brasil, empresa patrocinadora do evento, contou que há espaço para inovação no setor. Segundo ele, a tecnologia é parceira importante nesse processo. “A construção tem potencial para melhorar 50%, desde que adotadas boas práticas, novos conceitos e que se invista em tecnologia. A industrialização, a automação e a utilização de inteligência artificial são algumas ações para aumentar a produtividade”, exemplificou o CEO.

Cidades Inteligentes
O escritor e especialista em cidades sustentáveis Renato de Castro mediou a mesa-redonda sobre Cidades Inteligentes. “Minha definição de cidades inteligentes era, basicamente, um lugar onde tudo conspira para fazer sua vida melhor. Agora, vemos essencialmente que é preciso ter cidades mais resilientes”, iniciou.

Castro apresentou três tendências que, segundo ele, estão em alta, especialmente durante a pandemia. “Primeiro, percebemos a tendência a pensar menos no global e focar no local. Uma segunda tendência é a hipertecnologia, com soluções voltadas cada vez mais para a vida do cidadão. A última tendência é a importância do protagonismo das nossas cidades”, apontou.

O mediador trouxe ainda um recado de Jonathan Reichental, CEO, professor e autor do Vale do Silício, que enviou um vídeo especialmente para a audiência mineira: “É essencial termos resiliência. Nós não estávamos preparados para a pandemia, e esta não será a última”.

Minascon
Fruto da união entre a FIEMG e o Sebrae Minas, o evento reúne representantes de toda a cadeia produtiva da construção com o objetivo de promover negócios. A programação do evento continua até o dia 19. Na quarta-feira (18), o destaque da programação é o Minascon Innovation Talk, das 18h às 20h, em que os participantes vão ficar por dentro das soluções desenvolvidas no Brasil. E o final dessa jornada do conhecimento fica por conta do Megatendências, no dia 19, das 9h às 12h. O seminário apresenta as principais tendências em sistemas construtivos mais produtivos, design e tecnologias futuristas. 

Minascon – até 19 de novembro
Programação e transmissões no endereço: www.minascon.com.br