Auxílio Belo Horizonte começa ser pago a famílias carentes nesta sexta; veja quem tem direito

Lucas Sanches
@sanches_07
10/12/2021 às 07:56.
Atualizado em 14/12/2021 às 00:37
 (Maurício Vieira/ Hoje em Dia)

(Maurício Vieira/ Hoje em Dia)

A Prefeitura de Belo Horizonte antecipou o pagamento da primeira parcela do chamado “Auxílio Belo Horizonte”, criado para ajudar famílias em situação de vulnerabilidade social durante a pandemia da Covid-19. O anúncio foi feito ontem pelo prefeito Alexandre Kalil (PSD), junto com a secretária Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania, Maíra Colares.

Datada inicialmente para 15 de dezembro, a primeira parte do pagamento será feita hoje. Segundo Kalil, “cerca de 157 mil famílias devem ser beneficiadas, representando 60% do total de famílias elegíveis”. Poderão ser pagos mais de 250 mil auxílios, sendo que algumas famílias podem acumular benefícios do programa.

Seguindo a secretária Maíra Colares, quem fez a solicitação até 30 de novembro vai receber a primeira parcela do auxílio em 10 de dezembro, cinco dias antes do previsto. “Só nesta primeira parcela, serão mais de R$ 30 milhões investidos pela prefeitura”, explica. A medida, segundo o Executivo, não só garante o benefício mais rápido às famílias, mas também o direito de sacar o benefício nas agências da Caixa Econômica Federal dentro do cronograma definido, seguindo o mês de aniversário do beneficiário.

O Auxílio Belo Horizonte será pago nas contas poupança social digital da Caixa. Cerca de 70% dos solicitantes já possuem essa conta, enquanto as demais foram abertas após confirmação de dados. As famílias poderão acompanhar toda a movimentação por meio do aplicativo Caixa Tem. Quem optar por não usar os recursos de tecnologia pode ir a qualquer casa lotérica para acessar as informações do benefício e fazer o saque.

Entretanto, a PBH explica que “um total de 4.344 auxílios solicitados em novembro não serão creditados no dia 10, devido à inconsistência nos dados cadastrais. O número representa 1,09% do total de beneficiários”.

Nesses casos, a prefeitura vai disponibilizar um novo acesso a partir de 20 de dezembro, quando os dados poderão ser atualizados ou um novo beneficiários poderá se cadastrar.

Criado para combater os efeitos sociais e econômicos da pandemia da Covid-19, o Auxílio Belo Horizonte será pago às famílias com renda de até meio salário mínimo, que estejam inscritas ou tenham feito o requerimento de inscrição no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal até 30 de junho deste ano. 

São 20 grupos familiares diferentes que podem ter acesso ao benefício, que vai atingir 157 mil famílias da capital. Além do benefício mensal de R$ 100, as famílias podem acumular outros benefícios, desde que se encaixem em categorias como extrema pobreza e filhos matriculados na rede de educação municipal. 

As famílias em situação de pobreza irão receber R$ 600, também divididos em seis parcelas mensais de R$ 100. Já os grupos que se encontram em situação de extrema pobreza será concedido R$ 1,2 mil, pagos em seis parcelas mensais de R$ 200. Agora, as famílias em condição de extrema pobreza e que tenham entre seus membros alunos matriculados na rede pública de educação municipal poderão receber até R$ 400 por mês de auxílio.

A previsão de orçamento para o benefício é de R$ 239,5 milhões, sendo R$ 160 milhões de verba da PBH e o restante disponibilizado pela Câmara Municipal.

Leia mais:
Governo de Minas mantém licenças prévias para instalação da fábrica de cerveja em Pedro Leopoldo
Mesmo com 66 mil novas doses da Janssen, ainda falta o imunizante em diversos municípios de Minas
 

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por