BH prevê vacinar 12 mil imunossuprimidos adultos com a quarta dose da vacina contra a Covid-19

Da Redação
horizontes@hojeemdia.com.br
21/12/2021 às 07:46.
Atualizado em 29/12/2021 às 00:35
 (Fabio Rodrigues/Agência Brasil)

(Fabio Rodrigues/Agência Brasil)

Belo Horizonte prevê vacinar 12 mil imunossuprimidos com mais de 18 anos com a quarta dose da vacina contra a Covid. A recomendação do Ministério da Saúde é para que o grupo de risco procure os postos de saúde quatro meses após ter recebido o reforço. 

Ontem, a capital oficializou a redução do intervalo entre a segunda e terceira dose, que começa a valer a partir de quinta-feira. O prazo muda de cinco para quatro meses. Segundo a prefeitura, pessoas de 38 a 52 anos que receberam a CoronaVac serão o primeiro grupo. A aplicação está prevista para quinta-feira. Outras faixas etárias ainda serão convocadas gradativamente. 

4ª dose

No grupo de pessoas com imunossupressão estão pessoas com maior chance de desenvolver infecções comuns e recorrentes, como pneumonia e sinusite, e até doenças graves ou causadas por microorganismos. Também entram na lista pacientes em hemodiálise, com doenças cronicas e em quimioterapia contra o câncer.

De acordo com o infectologista Carlos Starling, o organismo começa a reduzir a eficiência da proteção imunológica entre três e quatro meses após a aplicação da vacina. Como os imunossuprimidos representam a parcela mais vulnerável da sociedade, o certo é que sejam os primeiros a receberem doses de reforço

“A quarta dose é necessária porque esse é um grupo que precisa dela. Ainda mais porque estamos no período limite da proteção imune”, disse o infectologista Carlos Starling, membro do Comitê de Enfrentamento à Covid em BH.

De acordo com o médico, o organismo começa a reduzir a eficiência da proteção imunológica entre três e quatro meses após a aplicação da vacina. Como os imunossuprimidos representam a parcela mais vulnerável da sociedade, o certo é que sejam os primeiros a receberem doses de reforço.

Outra justificativa reforçada pelo Ministério da Saúde para a medida é o surgimento da variante Ômicron do coronavírus – com três casos confirmados em Minas e outros dois ainda em investigação. 

A pasta federal reforçou que o avanço da vacinação no país reduziu de maneira significativa a ocorrência de casos graves e óbitos pela Covid-19. 

Calendário

Nesta semana, às vésperas do Natal, a capital mineira foca as ações na vacinação de pessoas que não voltar[/TEXTO]am aos postos de saúde para segunda dose.

Hoje, devem comparecer aos locais jovens de 18 a 25 anos que receberam a primeira dose da Pfizer. Já amanhã, segunda dose de Janssen para pessoas de 37 anos, cujo recebimento da primeira dose tenha pelo menos dois meses. Confira o calendário completo neste link.

* Com informações de Raquel Gontigo e Agência Brasil

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por