Região Noroeste

Casal é preso em BH por vender serviço pirata de TV por assinatura

Raquel Gontijo
raquel.maria@hojeemdia.com.br
21/06/2022 às 16:10.
Atualizado em 21/06/2022 às 16:19
 (Divulgação / Polícia Civil)

(Divulgação / Polícia Civil)

Um homem de 42 anos e uma mulher de 24 foram presos em flagrante, na manhã desta terça-feira (21), por vender serviço de TV por assinatura pirata no Santo André, região Noroeste de Belo Horizonte. As investigações apontam que o casal movimentava cerca de R$ 100 mil por mês e mais de R$ 1 milhão por ano.

Além da prisão dos suspeitos, a operação intitulada "404.4" apreendeu equipamentos eletrônicos, celulares, notebooks, discos rígidos (HDs). A Justiça autorizou ainda outras medidas como bloqueio dos sites ilegais e contas correntes e apreensão de um veículo de luxo.

A investigação foi articulada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, em ação integrada com a Polícia Civil (PC) de Minas, por meio da Delegacia Especializada em Crimes de Internet, e teve o objetivo de reprimir crimes praticados contra a propriedade intelectual na rede virtual.

Segundo o delegado Ângelo Ramalho, o casal capturava o sinal de TV por assinatura e cobrava para repassar aos clientes, oferecendo o serviço de forma pirata. Na capital mineira, as investigações apontaram para seis sites que comercializavam o serviço.

Ângelo ressaltou que, muitas vezes, os consumidores contratam esse tipo de serviço sem saber que estão cometendo um crime.

Outro alerta feito pelo delegado é que, ao contratar serviço pirata, os dados pessoais e financeiros podem ser acessados pelo fornecedor ilegal.

"Quando se contrata um serviço de TV por assinatura, os dados privados, como senhas bancárias, de e-mails e redes sociais ficam vulneráveis. Esse sinal fornecido pela TV pirata vai junto com algum malware, algum dispositivo que consegue capturar essas senhas pessoais geradas".

Ainda conforme o delegado, esse serviço ilegal é uma forma de poder paralelo, com o único objetivo de capitalizar a atividade ilícita dos criminosos.

Preso em flagrante, o casal vai responder por violação de direito autoral, com pena de um a quatro anos de detenção. Eles podem responder também por organização criminosa e lavagem de dinheiro.

Leia Mais

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por