2,2 mortes por dia

Covid matou 314 jornalistas durante 699 dias da pandemia desde abril de 2020

Vanda Sampaio
vsampaio@hojeemdia.com
24/03/2022 às 19:26.
Atualizado em 24/03/2022 às 19:35
 (Fenaj / Divulgação)

(Fenaj / Divulgação)

Um jornalista morreu a cada 2,2 dias por causa da Covid-19 no Brasil, desde abril de 2020. Os dados do relatório produzido pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), revelam que, em 699 dias,  314 profissionais perderam a vida, durante a pandemia. 

O elevado número de óbitos coloca o país na desconfortável posição de recordista mundial em número de mortes de profissionais de imprensa por causa da doença, segundo dados do portal Press Emblem Campaign. 

Os dados divulgados pelo relatório foram obtidos a partir de informações de jornais, sites e blogs, dados de Sindicatos de Jornalistas nos estados ou vindas dos próprios profissionais. E o número, para a Fenaj, pode ser ainda maior.  

Em Minas foram registradas, pelo menos, 19 mortes. São Paulo lidera os casos de vítimas na categoria com 42 óbitos, seguido pelo Rio de Janeiro com 33 casos e Pará e Paraná empatados com 33 mortes cada um.  

Segundo o diretor do Departamento de Saúde e Segurança da Fenaj, Norian Segatto, apesar de altos, os números podem estar subestimados e não refletem integralmente o tamanho da tragédia. 

A presidente da Federação, Maria José Braga, destaca a negligência e incompetência nas políticas adotadas pelo governo federal que favoreceram a disseminação da doença por meio da desinformação e o boicote às medidas sanitárias preconizadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). 

O documento ressalta como a vacinação contra covid-19 tem reduzido o número de mortos entre os profissionais da imprensa. Nos dois primeiros meses de 2022 foram registrados 11 casos, contra 42 do mesmo período do ano anterior. 

Leia mais

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por