Kalil libera presença de torcida nos estádios em BH; venda de cerveja será autorizada

Lucas Sanches
lucas.araujo@hojeemdia.com.br
09/09/2021 às 15:52.
Atualizado em 05/12/2021 às 05:50
 (Pedro Souza / Atlético e Gustavo Aleixo/Cruzeiro)

(Pedro Souza / Atlético e Gustavo Aleixo/Cruzeiro)

Os torcedores de futebol podem voltar aos estádios em Belo Horizonte. A informação foi dada nesta quinta-feira (9) pelo prefeito Alexandre Kalil (PSD), após reunião com Atlético, Cruzeiro e América. A primeira partida com público na capital deve ser entre Galo e Palmeiras, pela Copa Libertadores, no dia 28, no Mineirão.

Representantes do Corpo de Bombeiros, Minas Arena - empresa que administra o estádio - e das torcidas organizadas de Atlético e América participaram da reunião.

Segundo Kalil, "houve grande sacrifício de todos na PBH", e o resultado dos jogos no mês passado surtiram efeito. "Nós temos mais de 14 mil testes, feitos em torcedores presentes no jogo do Atlético (contra o River Plate, pela Libertadores). A incidência de contaminação foi de 0,1%", afirmou.

A presença de torcedores nós estádios será limitada a 30% da capacidade do estádio. O teste negativo da Covid-19 será exigido, assim como ingresso nominal e documento de identidade.

Para estimular o torcedor a se organizar no entorno do estádio, os portões serão fechados uma hora antes do começo da partida, e haverá comercialização de cerveja dentro dos estádios. Segundo Kalil, a bebida será vendida a preço promocional.

Para o membro do Conselho Deliberativo do América, Euller de Araujo, a reunião foi positiva. "Queremos a participação de todos nesse protocolo, e o mais importante é que ele deve ser construído e seguido por todos", concluiu.

Entenda

Em 18 de agosto, na partida entre Atlético e River Plate, pela Copa Libertadores, cenas de desrespeito às medidas de segurança, como a não utilização de máscara e o distanciamento entre o público, foram flagradas dentro e fora da arena. 

No jogo do Cruzeiro contra o Confiança, pela Série B do Brasileiro, o mesmo cenário, ainda que em menor proporção. Torcedores também tiveram dificuldade de entrar no Mineirão, o que provocou aglomerações.

À época, Kalil afirmou que, naqueles moldes, não iria manter a autorização do público. Um decreto da prefeitura voltou atrás na decisão e tornou a proibir os torcedores.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por