Pandemia

Procura por teste rápido de Covid praticamente dobra em um mês na capital

Gabriel Rezende
grezende@hojeemdia.com.br
23/05/2022 às 16:29.
Atualizado em 23/05/2022 às 17:52
Eletricista Jader Frederico procurou um dos Centros de Testagem de Belo Horizonte (Fernando Michel / Hoje em Dia)

Eletricista Jader Frederico procurou um dos Centros de Testagem de Belo Horizonte (Fernando Michel / Hoje em Dia)

A procura por teste rápido de Covid e, consequentemente, de resultados positivos dispararam na rede pública em Belo Horizonte. O número de exames gratuitos feitos por pessoas com sintomas da doença praticamente dobrou em um mês. No mesmo período, as confirmações da doença triplicaram.

Apesar do número de casos ainda seguir bem abaixo do que foi registrado nos picos da pandemia, médicos reforçam que o cenário preocupa. Especialistas pedem à população para manter os cuidados e não abandonar o uso da máscara de proteção, principalmente idosos e pessoas com doenças crônicas.

Dados da Secretaria Municipal de Saúde mostram que, de 10 a 15 de abril, 4.053 testes rápidos foram realizados, com 3% de positividade naquela semana. Menos de um mês depois, entre 8 e 13 de maio, foram 7.939 exames - salto de 95% -, com 9% de confirmações do coronavírus.

O infectologista Estevão Urbano, que integrou o extinto comitê de enfrentamento à pandemia em BH, diz que, embora haja a sazonalidade dos casos de gripe, a alta da procura se deve ao aumento da transmissão da Covid. “Estamos tendo, claramente, aumento de casos”, afirmou.

De acordo com o médico, a situação preocupa devido ao risco de adoecimento de idosos e imunossuprimidos. “Mesmo vacinados, eles podem adoecer de forma grave. Há receio de que esses casos resultem em internação". 

Urbano também recomenda que a população não abandone o uso da máscara de proteção, embora a utilização do item não seja mais obrigatória na capital. “Você pode pegar o vírus, levar para casa e adoecer alguém da sua família. Vale a pena (usar o equipamento)”, acrescenta. 

Testes gratuitos de Covid

Atualmente, a prefeitura oferece dois testes gratuitos. Um deles nos Centros de Testagem, onde são ofertadas, em média, 500 vagas por dia. O agendamento, indicado para assintomáticos e sintomas leves, é sempre aberto às 16h para o dia seguinte. Quando todas as vagas são preenchidas, o sistema informa indisponibilidade.

Para quem tem sintomas respiratórios graves, as autoridades indicam ao paciente procurar atendimento nos Centros de Saúde ou nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). Nesses locais, os testes são feitos sob demanda.

O eletricista Jader Frederico, de 34 anos, realizou teste de Covid-19 em um dos Centros de Testagem nesta segunda-feira (23). Após ele apresentar quadro de tosse e coriza, a empresa onde ele trabalha agendou o teste. “Já tomei as três doses [da vacina], mas melhor fazer por segurança”, explicou. O resultado do teste para o vírus deu negativo. 

Casos por 100 mil habitantes

Dados do boletim epidemiológico divulgado na última sexta-feira (20) pela prefeitura também evidenciam o aumento de casos de Covid-19 em Belo Horizonte. No último dia 16, a incidência da Covid-19 a cada 100 mil habitantes era de 47,4. Duas semanas antes, em 26 de abril, a incidência era de 28,82.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por