Revolta marca treinamento para simulação de rompimento de barragem em Barão de Cocais

Flávia Ivo
25/03/2019 às 10:39.
Atualizado em 05/09/2021 às 17:56
 (Simon Nascimento)

(Simon Nascimento)

Moradores de Barão de Cocais, na região Central de Minas, demonstraram revolta durante treinamento, na manhã desta segunda-feira (25), para a simulação de evacuação no caso de rompimento da barragem Sul Superior, programada para às 16h. Eles questionaram sobre o futuro da vida e do patrimônio construído na cidade. 

"Quero fazer melhorias na minha casa, mas ela fica na mancha (de lama, em caso de rompimento). Até quando precisarei esperar", disse uma moradora ao tenente-coronel Flávio Godinho, coordenador-adjunto da Defesa Civil Estadual, que detalhou o procedimento aos moradores na Escola Estadual Efigênia de Barros Oliveira.

Parte da população esteve no local para participar do treinamento. Nesta segunda, foi decretado feriado na cidade e o comércio está todo fechado

Segundo ele, não há data prevista para uma mudança de cenário. "A intenção do Governo de Minas é preocupar com a vida de vocês. No entanto, intervenções e melhorias para aumentar a segurança da barragem não estão próximas e não há data de solução para o problema. Não vou mentir".

Monitoramento

O tenente-coronel explicou aos moradores que geotécnicos têm realizado o monitoramento 24 horas, com uso de equipamento que "medem" a vida de uma barragem. "Estes profissionais conseguem fazer a leitura de dados por meio dessas ferramentas. Além disso, na Sala de Comando, temos monitoramento por vídeo que acompanha, em tempo real, a situação da barragem", observou Godinho.

Foram estipulados sete pontos de encontro e sete veículos com caixas de som irão alertar a população no momento da simulação. a orientação aos moradores é sair a pé de casa.

"Não saiam de casa nos carros particulares. As ruas de Barão de Cocais são estreitas. Se saírem do carro e baterem, bloqueando a via, não temos como ir até a casa de alguém que precisa de ajuda", destacou o coordenador-adjunto, observando que as pessoas com deficiência ou com necessidades especiais já foram previamente cadastradas pela Defesa Civil.

Nos pontos de encontro, uma equipe multidisplinar formada por psicólogos, assistentes sociais e outros profissionais estará esperando pelos moradores. "Não precisa de correria. Saiam a pé, tranquem a casa e sigam para o local mais próximo. Temos que fazer isso antes de 1 hora e 12 minutos", detalhou o tenente-coronel.

"Pegue seu remédio controlado e já deixe reservado em uma bolsinha, assim como uma mãe prestes a ganhar neném. A bolsinha já fica reservada para quando precisar ir para o hospital"Tenente-coronel Flávio Godinho, coordenador-adjunto da Defesa Civil de Minas Gerais

Dicas importantes

O representante da Defesa Civil Estadual também descreveu aos participantes da reunião alguns cuidados necessários para o bom andamento da simulação:

- Observar a mancha projetada em estudo: "Se o morador der 50 passos para a frente ele está fora da mancha", colocou Godinho;

- Trancar as casas, apesar do monitoramento que será feito pela Polícia Militar;

- Auxiliar pessoas mais velhas e as crianças;

- Pessoas que têm necessidade de medicação controlada devem deixar o remédio reservado em uma bolsinha de fácil acesso e levá-la;

- Documentos como certidões de nascimento e casamento, identidade, CPF, cartão de vacina, registro de imóvel e outros documentos que o morador julgue necessários devem estar separados;

- Ficar atento a fake news: "Temos várias fake news tentando provocar o terror. Quando chegar uma mensagem no seu celular, vá para a porta de casa. Se em cinco minutos não passar o carro na sua porta, é mentira", disse Godinho.

Leia mais:

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por