A influência da diversidade cultural dos docentes nas IES

Opinião / 31/12/2020 - 06h00

Letícia Corrêa M. Ferreira*

A cultura corporativa é constituída pelas subculturas e contraculturas dos docentes que advém de diferentes épocas históricas. Para nomear geração é necessário considerar a diversidade cultural entre as diferentes faixas etárias que se desenvolve através da aglutinação de capital humano em um mesmo local de trabalho em situações atemporais.

Uma questão norteadora
A cultura organizacional é influenciada por diferentes gerações, as quais, Kaye e Evans (2004) classificam em quatro: Baby Boomers, X, Y, Z e a Apha, onde, cada uma tem suas próprias características culturais que determinam o ritmo da interatividade no ambiente de trabalho.

Um corpo docente diversificado culturalmente trás desafio e gera vantagem para a IES, que pode legitimar e valorizar a aptidão da percepção dos docentes, sobre as forças e fraquezas vivenciadas e assinaladas no desenvolvimento do trabalho, que apontam deficiências e sugestões para melhorar a convivência no cotidiano. 

Percepção ambiental 
Quanto mais complexo o ambiente externo, mais diverso e impactante será o ambiente interno. Indicador forte, o ambiente demanda atenção, desenha modelos inovadores de políticas e estratégias para a sobrevivência da IES. A percepção ambiental acontece através da absorção de um conjunto de informações selecionado e moldado pelos atores. Informações utilizadas para a construção da percepção ambiental são selecionadas ou eliminadas. A informação coletada é a considerada relevante pela empresa norteando seus métodos e investimentos em gestão de pessoas.

Aculturamento da IES 
A cultura organizacional é influenciada na forma e tempo em que os docentes desenvolvem suas habilidades e competências. Perceber na docência os saberes que produzem, permite o entendimento de uma cultura miscigenada. 

O processo histórico desenvolvido pelos docentes de diferentes gerações mobiliza a IES na reconstrução de sua identidade permitindo que a exposição de fatos sociais pontuais, ou não, produzam e cocriem um novo e provocante processo cultural que atenda as novas demandas do corpo docente. Nesse processo, práticas, metodologias ativas e afetivas se tornam eficazes e competitivas e geram curiosidade e interesse na clientela ansiosa em experimentar novos modelos de ensino que startem as múltiplas inteligências. A gestão das IES diante a diversidade de gerações de docentes deve observar e compreender a dinâmica do ambiente heterogêneo que promove experiências inovadoras e ímpares, promovendo um aculturamento multifacetado que ganha mercado devido à riqueza de conhecimentos gerado pela diversidade.

*Mestre em Administração.GRH.Professora das faculdades Promove 

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários