Carteira diversificada de investimentos

Opinião / 05/09/2019 - 06h00

Daniel Ribeiro

Até mesmo os investidores mais experientes sabem que diversificar a carteira de investimentos é um dos grandes segredos para obter sucesso e, ao mesmo tempo, proteger o patrimônio.

Isso porque é impossível prever como o mercado e a economia mundial irão se comportar. Um exemplo disso é o caso da petroleira OGX, de Eike Batista, que em 2013 entrou em recuperação judicial. As ações viraram pó e os acionistas viram seus patrimônios escoarem pelo ralo.

Um dos principais objetivos da diversificação da carteira de investimentos é a redução dos efeitos das oscilações do mercado, já que há vários potenciais riscos envolvidos. Flutuações do mercado, intervenções governamentais e mudanças regulatórias são alguns deles. A melhor forma de se resguardar de acontecimentos como esses é operar com ativos diversos, que ajam de forma distinta a diferentes estímulos da economia.

Ao alocar seu patrimônio em uma carteira diversificada, o investidor pode apostar em aplicações de menor ou maior risco, que possuem rentabilidades distintas. Essa variação proporciona uma maior liberdade ao cliente, pois ele pode adquirir papéis com vencimentos variados, o que viabiliza o resgate de emergência no caso de ativos de liquidez imediata.

O primeiro passo para montar uma carteira diversificada é identificar o perfil do investidor. Essa definição é vital, pois os clientes mais conservadores tendem a se arriscar menos, já os moderados assumem um pouco mais de risco e os agressivos concordam em lidar com maiores oscilações de mercado, com o intuito de garantir grandes ganhos em suas operações. Feito isso, é preciso também traçar quais são os objetivos a serem atingidos com as aplicações e o tipo de diversificação a ser realizada.

Quanto ao tamanho da carteira e à quantidade de ativos, ambos vão depender do valor a ser investido, mas alguns fatores a serem avaliados na hora de escolher os ativos são: liquidez, rating, rentabilidade e o emissor do ativo. Todos os perfis de investidor devem ter sua carteira diversificada como forma de proteção e principalmente de garantir rentabilidade. O rebalanceamento periódico da carteira, a estratégia correta, a escolha dos produtos certos, bem como a proporção entre eles, são parte do sucesso da construção de uma carteira e consequentemente, do aumento do patrimônio a longo prazo.

Basicamente, diversificação é uma forma inteligente de combinar proteção e rentabilidade. O conselho para quem pretende montar a sua carteira é se informar sobre o mercado. O ideal é pesquisar sobre o assunto e buscar a orientação de um especialista para montar a melhor estratégia de diversificação e aumentar seu patrimônio.

Economista e sócio fundador da Monteverde Investimentos

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários