Como ser aplaudido de pé pelo que você faz

Opinião / 18/09/2021 - 06h00

“Para ter conhecimento é preciso ter um palheiro cheio de dados e informações, mas, para ter sabedoria, é preciso encontrar nesse palheiro a agulha do conhecimento conclusivo e relevante.”

Acabo de voltar de uma viagem rumo ao conhecimento, usando como meio de transporte excelentes livros sobre Comunicação Empresarial.

Eles me levaram para São Paulo, onde fui recebido por Normann Kestenbaum, a quem fui logo pedindo:

– “Ensina-me algo que eu ainda não saiba e tenha o poder de mudar a minha vida para melhor.”

– “Nunca use duas palavras quando apenas uma resolver.”

Normann é um dos maiores especialistas que eu conheço em expressão de ideias, e ele assessora executivos do mundo inteiro na preparação de suas grandes apresentações de negócios.

Ele escreveu o livro “Obrigado pela informação que você não me deu”, cujo título é uma alusão ao que os grandes chefes mais gostariam de dizer para seus colaboradores ao final de uma reunião.

Normann prova que o maior obstáculo para o sucesso na expressão de ideias vem da falta dos dois dos recursos mais escassos no mundo de hoje: atenção e tempo.

Então:

Seja conclusivo e garanta que a conclusão seja boa!

Sempre comece sua apresentação pelo final e diga logo na primeira página:

Este projeto vai ajudar a empresa a economizar ou a ganhar X milhões de reais ou: este projeto vai resolver o nosso maior problema!

É o único começo que desperta a atenção, o interesse e que evita que sua audiência esboce um cochilo durante a sua fala.

Dê muito mais valor ao conteúdo da sua ideia do que à forma de sua expressão.

Um texto escrito em folha de papel de pão supera slides milionários com efeitos especiais produzidos nos escritórios da Nasa e de Hollywood quando o seu conteúdo é “matador”.

Respeite o tempo das pessoas que te ouvem, use o mínimo de slides no menor tempo possível e demonstre domínio verbal sobre o tema, para o caso de a luz acabar no meio da sua apresentação.

Fale a língua da sua audiência.

Se o seu conteúdo contiver termos e jargões técnicos e você estiver fazendo uma apresentação para presidentes e diretores de empresas, traduza toda a sua ideia para a língua dos negócios.

Quem não entende, não compra! Fica a dica.

Reserve tempo suficiente no final para debate e discussão do seu projeto, pois é no debate final que aumentam as suas chances de vendê-lo em definitivo.

Seja o mais simples, claro, relevante e conciso possível.

Depois corra para o abraço!

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários