Educação na reforma agrária

Opinião / 10/01/2018 - 05h00

Zé Silva *

Foi com uma grande alegria que comecei meus trabalhos de parlamentar neste ano novo, participando na semana passada de uma grande conquista para os jovens rurais, com o lançamento oficial do curso de Agronomia pelo Pronera – Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária, na UFTM – Universidade Federal do Triângulo Mineiro, em Iturama, onde foi instalado o curso. 

As aulas se iniciam com 50 alunos, filhos de agricultores assentados pela reforma agrária e que foram selecionados em projetos de assentamentos em 11 estados brasileiros. Esta é a primeira vez que o Pronera implanta o curso de agronomia no modelo do ensino de alternância, onde o aluno fica um período na faculdade e outro na propriedade de seus pais. <TB>Esse intercâmbio de vivências potencializa de forma mais eficiente os resultados de estudos nas salas de aula, pois os alunos podem aplicar seus conhecimentos diretamente na realidade desafiadora dos assentamentos. 

Minas Gerais recebe ainda, com o Pronera, 120 alunos para curso técnico, na região Centro-Oeste, em Pitangui, com o curso técnico agrícola no ITAC - Instituto Técnico de Agropecuária e Cooperativismo. Depois de 19 anos sem chegar em Minas, trouxemos no ano passado, por meio do Incra, esses primeiros cursos do Pronera para o nosso Estado.

Para quem eventualmente não saiba, o Triângulo Mineiro não é apenas uma região de grandes empreendimentos do agronegócio, mas tem também uma geografia social e econômica de grandes e desafiadores contrastes. Na região existem muitos assentamentos de reforma agrária, e todos têm um importante papel a desempenhar nos processos para o desenvolvimento regional. 

Nesse contexto, o curso de agronomia para jovens de assentamentos rurais constitui uma base fundamental para que a agricultura familiar alcance e consolide as condições de cumprir com eficácia o seu papel nesses processos de desenvolvimento humano, econômico e social. Além de ser, ainda, a conquista e a ampliação de um direito para todos os jovens brasileiros, quaisquer que sejam suas condições sociais.

No Triângulo Mineiro existem hoje exatamente 4.857 famílias assentadas pela reforma agrária, trabalhando em 85 projetos de assentamento, em 27 municípios. Inclusive, o primeiro assentamento implantado pelo governo brasileiro após a retomada da democracia foi feito na região, em Limeira do Oeste, o Projeto Fazenda Barreiro. E justamente nesse assentamento que iniciei minha carreira de extensionista na Emater-MG. E dessas experiências vêm minha alegria e satisfação em comemorar essa grande conquista. 

* Zé Silva é agrônomo, extensionista rural, deputado federal pelo Solidariedade/MG
 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários