Fim de ano e a exposição aos riscos de segurança

07/12/2021 às 20:05.
Atualizado em 14/12/2021 às 00:36

Eduardo Masulo*

O fim do ano chegou e, com o reaquecimento da economia, os setores de varejo, e-commerce e logística iniciam uma corrida contra o tempo, acendendo o sinal de alerta para aqueles que trabalham com segurança. As operações seguem veementes e a concorrência provoca comportamentos de risco em gestores que precisam cumprir metas cada vez mais agressivas. A expressão “tempo é dinheiro” nunca fez tanto sentido como atualmente.

Nesse ambiente de elevada pressão, é comum que os processos sejam atropelados e o “jeitinho” venha à tona como uma solução que atenderá ao atingimento das metas. Mas será possível proteger as pessoas, as operações e, ao mesmo tempo, blindar as marcas e garantir os processos? A tarefa não é simples, mas é possível, sim, aumentar a produtividade de vendas e ter segurança caminhando juntas. Empresas em busca de aumento nas suas receitas se expõem aos riscos que podem e devem ser evitados.

Alguns pontos devem ser considerados. Por exemplo, os fatores externos, a segurança do perímetro, a localização e o tempo de respostas das forças de segurança, emergência e defesa. No entanto, é muito comum os fatores externos serem desconsiderados para “baratear” custos com projetos, efetivo de segurança, tecnologias ou mesmo com análise de riscos por empresas especializadas que poderiam ter sinalizado as vulnerabilidades.
A segurança pública, por sua vez, movimenta os seus times conforme mapeamento criminal, de forma reativa, muito devido a efetivos incompatíveis com as suas demandas. 

Vemos um clima de euforia tomando conta e vale tudo! Antecipar-se aos problemas é um bom caminho, assim como planejar e matricular ações com stakeholders é algo que faz frear alguns ímpetos que, no final, irão reduzir perdas. Entender as operações logísticas possibilita debates construtivos e empresas que não possuem profissionais capacitados contam com a sorte.

Por fim, vale reforçar a importância da área de segurança dentro do universo corporativo. O profissional deve ser multidisciplinar e entender do seu negócio para prover soluções, que, em alguns casos, não demandam grandes investimentos. O fazer mais com menos é um movimento que chegou para ficar e a criatividade nunca foi tão necessária. Trabalhar processos, normas e a comunicação é um passo importante para evitar surpresas. É preciso avaliar riscos, estar atento às oportunidades e estar antenado com tudo que acontece dentro e fora do negócio, o que te colocará à frente para enfrentar os desafios e minimizará os danos em casos de ocorrências.

* Consultor sênior na ICTS Security, empresa de origem israelense que atua com consultoria e gerenciamento de operações em segurança.

  

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por