Funcionário feliz é mais produtivo

Opinião / 12/04/2019 - 06h00

Astrid Vieira*

Sabe de uma coisa? Equilibrar a vida pessoal e profissional não é fácil, quem dirá o emocional. As tensões diárias são capazes não só de influenciar nossas emoções, mas também afetar o nosso desempenho no emprego. E o bem-estar emocional pode fazer a diferença: pessoas felizes são mais produtivas do que pessoas infelizes.

Cada vez mais, as empresas têm buscado além de bons profissionais, pessoas que se interagem bem nas suas estruturas humanas, demonstrando interesse e motivação. Na visão empresarial, um funcionário feliz é sinônimo de um profissional motivado, capaz de fazer bem o seu trabalho e ainda incentivar os demais colegas. Tudo isso porque se as pessoas se sentirem bem, provavelmente vão ter desempenhos positivos. E, dessa forma, também ficarão bem vistas aos olhos dos administradores.

Um claro exemplo vem de um estudo que está sendo realizado pela Universidade da Califórnia no qual aponta que um trabalhador feliz é, em média, 31% mais produtivo, três vezes mais criativo e vende 37% a mais em comparação com outros. Enquanto outra pesquisa publicada no Journal of Applied Psychology, mostra que os colaboradores com altos níveis de satisfação no trabalho são mais cooperativos e dispostos a ajudar os demais.

Empresas bem-sucedidas têm colaboradores bem-humorados e, consequentemente, mais engajados, leais e criativos, em comparação àqueles empregados insatisfeitos. As pesquisas também apontam que o clima organizacional é um dos fatores que mais afetam os indicadores de produtividade, engajamento, trabalho em equipe, criatividade e conduta ética.

Acredito que, quando as pessoas são questionadas se estão felizes em seu emprego, poucas afirmam estarem completamente satisfeitas. Isso acontece porque, além de sofrerem com a pressão por resultados, geralmente não são reconhecidas pelo que fazem. De acordo com uma pesquisa feita pela International Stress Management (ISMA-BR), apenas 24% dos brasileiros se sentem realizados com sua vida profissional. Isso faz com que os trabalhadores possam apresentar transtornos de ansiedade, estresse ou depressão. No Brasil, 70% da população economicamente ativa sofre de estresse causado por questões empregatícias.

Apesar de não ser possível controlar os trabalhadores para que sejam felizes, ainda assim pode-se criar condições que vão ajudar a promover a positividade no ambiente de trabalho. A felicidade é uma via de mão dupla e as empresas precisam dar condições para alcança-la.

É dever dos empregadores oferecer um ambiente que dê vontade de ir trabalhar todos os dias. É possível proporcionar isso, por exemplo, como a criação de um clima amigável na empresa em que predomine a confiança e cooperação, flexibilização dos horários, reconhecer e comemorar as conquistas individuais e coletivas, ter um chefe competente e com quem se possa contar, e até mesmo um suporte aos funcionários em questões pessoais.

Quer saber? Não existe trabalho perfeito, mas o ideal é que a satisfação sempre supere os problemas.


(*)Empresária, diretora e consultora de carreiras, da empresa mineira Leaders-HR Consultantes
 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários