Inclusão de pessoas com deficiência visual nas mídias sociais

Opinião / 19/03/2021 - 06h00

Nathália Gorito*

A mudança comportamental da sociedade propõe relacionamentos mais humanizados e personalizados e menos robotizados e engessados. Com o objetivo de atender e atrair mais o público, muitas instituições públicas e privadas elaboram conteúdos de acordo com algoritmos e exigências das plataformas de mídias sociais. No entanto, infelizmente, nem todas se mostram empenhadas em abranger a as pessoas com deficiência visual em seu conteúdo digital de relacionamento, venda de produtos ou, simplesmente,promoção da marca. 

Segundo dados divulgados no último Censo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2010, no Brasil, existem mais de 6,5 milhões de pessoas com deficiência visual, sendo 582 mil cegas e seis milhões com baixa visão. Números consideráveis, que ressaltam a importância da valorização e promoção da inclusão do deficiente visual nas plataformas de mídias digitais. Embora algumas páginas de organizações no Facebook utilizem a tag #pracegover – que descreve uma imagem de forma detalhada, auxiliando a pessoa com deficiência ‘enxergar através de palavras’ -, a prática, infelizmente, não é muito comum. 

A ferramenta é super necessária para adequação da estratégica de marketing digital aos novos padrões sociais e como parte da promoção eficaz de inclusão de pessoas com deficiência visual na plataforma, principalmente, no que tange o acesso a informações.Trabalhar a inserção e não apenas integração dessa parcela da sociedade no ambiente digital faz parte não só de uma estratégia, mas de uma responsabilidade social já estabelecida na sociedade do século XXI. Afinal, as organizações precisam estar preparadas para atender àsdiversas demandas de seu público, uma vez que o relacionamento vai muito além do ambiente virtual.

O consumidor está se transformando e tornando-se cada vez mais inflexível, exigindo das marcas posicionamentos relacionados a diversos temas presentes no cotidiano. Por isso, desenvolver uma identidade de marca sólida, que se comprometa com a qualidade para alcançar a fidelidade do cliente é crucial para o sucesso da empresa. Ademais, se não houver empatia entre marca e consumidor, dificilmente haverá fidelidade do cliente para com o produto oferecido. 
Certamente, muitas empresas ainda carregam em sua cultura corporativa o antigo modelo de marketing que propunha “fazer o cliente se inserir no mundo das marcas”. Contudo, devido às mudanças culturais da atualidade, as empresas precisam se adequar para “inserir suas marcas no mundo do cliente” e, provavelmente, esse seja o maior desafio que elas enfrentam. Uma instituição que não possui o hábito de promover o acesso de usuários com deficiência visual aos seus canais de comunicação pode comprometer o sucesso da marca. Afinal, apesar do preconceito – aos poucos desfeitos - o deficiente visual também tem necessidade de consumir informação e produtos.

*Jornalista, especialista em Marketing Digital e Mídias Sociais

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários