Inserção no mercado de trabalho

Opinião / 22/01/2018 - 22h31

Alexandre Cézar de Oliveira Melo*

Atualmente os postos de trabalho estão mais restritos e os processos seletivos são mais concorridos, as empresas contratantes exigem cada vez mais qualificação, habilidades e competências dos candidatos. Entretanto, o mercado de trabalho é aquecido nos dois últimos meses do ano, em virtude do movimento do comércio e das festas de fim de ano.

Esse aquecimento permanece nos três primeiros meses do ano seguinte, o que torna o período bastante oportuno para quem está em busca de uma oportunidade profissional. Neste sentido, os primeiros três meses do ano se constituem na melhor época para quem está em busca de uma oportunidade, seja como estagiário ou aprendiz.

Existem instituições especializadas na intermediação de programas de estágio e de aprendizagem que auxiliam significativamente os estudantes no desafio da inserção no mercado de trabalho. E uma das mais tradicionais no território mineiro é o Centro de Integração Empresa-Escola de Minas Gerais, associação social de interesse público presente no Estado desde 1979.

Como agente de integração, o CIEE/MG está apto a intermediar a contratação de estagiários nos níveis médio, técnico e também da educação superior. Desde 2015, a instituição está credenciada como entidade qualificadora de aprendizes. 

No caso dos candidatos que perseveram em busca do estágio, mesmo no período de férias, abrindo mão do lazer e do descanso, poderão ter a compensação de seu esforço devido à diminuição da concorrência e do maior número de vagas disponíveis no mercado.

A concorrência reduz porque muitos candidatos estudam em cidades diferentes de seus familiares, o que provoca uma evasão no período das férias. Outros priorizam as férias e o lazer, ignorando o fato de que as empresas continuam com suas demandas de contratação, mesmo nesse período. Assim sendo, aqueles que permanecem focados no objetivo de conseguir um estágio terão maiores oportunidades.

Para os adolescentes e jovens sem experiência, na faixa etária entre os 14 e os 24 anos, o Programa de Aprendizagem pode ser uma excelente opção para entrar no mercado de trabalho, pois oferece a esse público a oportunidade de participarem de um curso de qualificação profissional conciliado com a aquisição de experiência prática.

As empresas de médio ou grande portes estão obrigadas, em virtude da Lei 10.097/2000, a contratação de aprendizes, na proporção de cinco a 15 por cento de seu quadro de funcionários. Dessa forma, as empresas precisam cumprir a cota exigida pela legislação vigente e dispõem das vagas tão almejadas por jovens inexperientes e interessados em trabalhar.

Ao contratar um aprendiz, a empresa absorve um potencial talento que trabalhará de forma responsável e comprometida com a organização e sua missão. Para o aprendiz, será a oportunidade do primeiro emprego, da formação técnica e de um futuro profissional. É uma relação em que ambos saem ganhando.

* Professor, administrador e supervisor de Comunicação do CIEE/MG

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários