Internet pode ser livre de fraudes

Opinião / 06/12/2018 - 07h00

Maria Fernanda Assi*

Com a consolidação da internet e a ascensão da tecnologia móvel, as mídias digitais vêm ganhando cada vez mais espaço no mercado. Com a criação de sites, propagandas e posts patrocinados, a internet se tornou o terceiro veículo de maior alcance no Brasil, segundo pesquisa do Ibope Nielsen. O crescimento foi tão estarrecedor que empresas do Brasil e do mundo viram nesse boom uma oportunidade de propagar a marca e conquistar mais clientes. No entanto, pessoas mal-intencionadas _ os indesejáveis fraudadores – também viram nas redes sociais uma (grande) oportunidade para tirar proveito.

E os números assustam. De acordo com uma pesquisa da ACI Worldwide, em parceria com o Aite Group, 49% dos brasileiros já sofreram algum tipo de fraude com cartões. Isso coloca o país em segundo lugar no ranking global, ficando atrás apenas do México.

Por isso, nunca é demais reforçar a necessidade de ficar sempre atento ao realizar compras ou efetuar transações pela internet. Pode parecer repetitivo, mas, nunca é demais reforçar algumas dicas básicas para não ser (ou pelo menos evitar) vítima de fraudes: pesquisar a reputação do site; priorizar lojas conhecidas; comparar preços; desconfiar de ofertas imperdíveis; evitar pagamentos por transferências; verificar se as páginas das redes sociais possuem o selo de verificação (elas têm o “check” azul ao lado do nome); jamais fornecer dados pessoais ou bancários; não emprestar o cartão e acompanhar o extrato de despesas.

Não é à toa que empresas do sistema financeiro nos quatro cantos do planeta têm investido milhões ao ano após ano para reforçar suas infraestruturas digitais. Tudo para impedir o número de ataques, garantir a segurança durante a autenticação dos clientes e, principalmente, buscar soluções que assegurem sua integridade no universo online.

Assim como buscamos segurança no dia a dia, a atenção deve ser redobrada ao realizar qualquer tipo de transação ou compras pela internet. Com muita cautela, é possível, sim, utilizar o meio digital sem ter que passar pelo desconforto de ter os dados roubados e as nada agradáveis dores de cabeça – e no bolso – por causa da falta de escrúpulos de algumas pessoas mundo afora.

*Especialista em Prevenção à Fraude do pag!.


 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários