Lições do maior coach do mundo

Opinião / 09/11/2019 - 06h00

Mauro Condé

“Um time sempre obtém melhores resultados do que um simples amontoado de pessoas”.

Acabo de voltar de uma viagem rumo ao conhecimento, usando como meio de transporte excelentes livros sobre Desenvolvimento de Vida e Carreira.

Eles me levaram para o Vale do Silício, Estados Unidos, no ano de 2016, onde fui recebido por Bill Campbell, o maior coach (preparador de profissionais) da história, a quem fui logo pedindo:

Ensina-me algo que eu ainda não saiba e tenha o poder de mudar a minha vida para melhor.

Seja você mesmo, o mais natural e autêntico possível, sem máscaras.

Compense possíveis pontos fracos, caprichando nos seus pontos mais fortes.

Leia compulsivamente, o máximo de horas por dia.

Copie e cole para dentro da sua mente as ideias mais inteligentes das mentes mais brilhantes que já passaram por esta vida.

Ler expande sua mente, turbina o seu potencial e te deixa a anos luz dos seus concorrentes mais ferozes.

Quando em posição de comando, coloque as pessoas em primeiro lugar.

Não existe nada pior do que trabalhar para um chefe que não deseja o seu sucesso.

Comunique-se constantemente e repita suas mensagens mais importantes, para mover só um pouquinho a agulha de suas conquistas.

A repetição não estraga a oração.

Crie equipes de alta performance.

Atraia os melhores jogadores do mercado para ganhar jogos e títulos.

Nunca seja o mais inteligente da sala. Ser um gênio com mil auxiliares é a receita do fracasso.

Deixe claro o que você espera de cada colaborador.

Crie o melhor ambiente físico e emocional de trabalho e disponibilize as melhores ferramentas.

Distribua as camisas e os papéis de acordo com os melhores talentos de cada um.

Treine, prepare e desenvolva seus liderados ao máximo.

Desenvolva relacionamentos de alto nível entre seus colaboradores, deles com seus funcionários e com seus chefes.

Aja como o grande diretor de cinema, que depois de juntar o melhor elenco, grita “Ação’ e deixa que cada um faça o seu melhor.

Seja decido – tome decisões com apenas duas respostas: Sim ou não.

Excesso de consenso é falta de liderança. O consenso leva a decisões medíocres e inferiores.

Crie um processo inteligente de tomada de decisões que garanta a consideração de todos os pontos de vista, e, se necessário, dê o voto de minerva e tome a decisão.

E, por último: “Não faça merda!”

Consultor, palestrante e fundador do Blog do Maluco

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários