Montar e motivar o melhor time

Opinião / 15/05/2016 - 06h00

Mauro Condé*

Montar equipes de trabalho de alto desempenho é um dos desafios e uma das habilidades mais exigidas e valorizadas em um grande líder, cujo trabalho não mais depende da sua performance individual apenas, mas sim da performance de um grupo de colaboradores.

O líder de uma grande equipe não precisa conhecer nem saber lidar com mínimos detalhes operacionais. Ele tem, sim, que dominar a arte de lidar com recursos finitos (tempo, dinheiro e principalmente gente) e saber interligá-los da forma mais competente e inteligente possível às estratégias centrais da empresa.

Um bom líder formador e motivador de grandes equipes precisa agir como um grande diretor de cinema, cuja missão principal é, tendo uma boa história nas mãos e o respectivo patrocínio, escolher o melhor elenco, os melhores atores e o melhor grupo de apoio possível. E depois disto gritar: “Ação!”.

Uma vez, almoçando com um amigo muito importante, ex-reitor de uma das universidades formadoras dos profissionais mais brilhantes do país, eu ouvi dele a palavra que melhor resume o segredo para a formação de uma grande equipe de trabalho:
- SELEÇÃO!

Garanta colocar para dentro da sua equipe sempre os melhores do mercado, pois quem atua com os melhores jogadores é que acaba ganhando a maioria dos jogos e por conseqüência, o campeonato.

Uma vez vencido o desafio de montar a melhor equipe do mercado, a missão é criar o melhor e mais motivador clima organizacional para envolver os novos craques contratados. E como fazer isto, resumidamente?

Em primeiro lugar, ao contratar os melhores, mais inteligentes e mais preparados profissionais do mercado, o líder traz junto com eles os seus respectivos egos, cada um mais elevado do que o outro, o que pode provocar competições internas no grupo por causa de vaidades pessoais.

Então a primeira missão do líder desta equipe de alto desempenho é criar o melhor ambiente psicológico de trabalho possível, desde o primeiro dia, nivelando, por cima o QE (Quociente de Inteligência Emocional) com o QI (Quociente de Inteligência Intelectual) – isto pode ser feito através de palestras, cursos e treinamentos de alto nível, antes mesmo de colocar os novos pupilos em campo.

O líder deve convencê-los de que eles não entraram para um reality show onde vários entram e só um sai vitorioso e sim eles entraram para uma equipe de alto desempenho, onde um só vence, se todos tiverem sucesso, através do trabalho em equipe.

O líder deve amarrar as avaliações de desempenho às métricas da performance da equipe como um todo, fazendo o indivíduo ganhar ainda mais quando o grupo todo for bem-sucedido, fazendo o trabalho em equipe prevalecer.

Em seguida, o líder precisa cuidar para que os melhores tenham as melhores condições físicas de trabalho possíveis – providenciando para que os escritórios e oficinas sejam os mais bem decorados, mais bem cuidados, limpos e pintados, com os melhores equipamentos, as melhores ferramentas e os melhores instrumentos de trabalho.

Ambientes de trabalho de empresas como Google e Apple são bons exemplos de ambientes profissionais e ao mesmo tempo leves e inspiradores.
E, por fim, cabe ao líder garantir que os novos comandados saibam claramente o que se espera deles em termos de resultado final do trabalho e dar a eles liberdade para que entrem em campo, vestidos de muito conhecimento e motivação para conquistar os jogos e o campeonato.

* Consultor de Empresas e fundador do http://oblogdomaluco.com.br/

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários