O sorriso envelhece, mas pode ser mais tarde

Opinião / 20/10/2021 - 06h00

André Pataro*

O tempo é impiedoso com a estética humana. Os anos vão passando e os traços de jovialidade gradativamente vão cedendo lugar a novas etapas da vida reveladas por outras marcas. E elas vão aparecendo em todas as partes. Na pele, no cabelo, no desempenho físico e... sim, também no sorriso!

As rugas que começam a surgir em certo ponto da vida são tão características que algumas ganham até nome. Por exemplo, o "bigode chinês", que se inicia nas bordas do nariz e descem até as extremidades da boca, e os códigos de barra, como são conhecidas as rugas periorais, que aparecem nas partes superior e inferior dos lábios.

Essas transformações contribuem bastante para o envelhecimento do sorriso, mas não são as únicas. Os dentes vão ficando mais vulneráveis à acidez, além de perderem mais rapidamente elementos que fazem parte da sua composição, como o cálcio por exemplo. Fruto de um histórico de desgaste, perda, amarelamento, trinca, fratura, quebra e até mudança de posição e de tamanho.

A gengiva pode sofrer recessão, que é a exposição da raiz, ou inflamações decorrentes de doenças periodontais. Isso faz com que o indivíduo perca o arco côncavo-regular, que também contribui para a manutenção da estética dental. Pode ocorrer ainda o afinamento dos lábios devido à perda de colágeno, dando a sensação desagradável de estar ficando com a boca murcha.

A ciência tem dado uma grande contribuição no sentido de retardar ou até fazer sumir alguns sinais da idade, por meio de procedimentos bucais e de harmonização facial. Mas nem tudo precisa acontecer dentro de uma clínica. Os nossos hábitos alimentares também têm interferência.

Mas também sabemos que só a alimentação não resolve. Não adianta priorizar a estética se a saúde e função bucal não estão em dia. Esse cuidado precisa ser conjunto, somando tanto a estética quanto os bons hábitos.

O paciente precisa considerar o alinhamento da curvatura da gengiva com a curvatura da ponta dos dentes e com a curvatura da ponta dos lábios. Este é o segredo da estética dos sorrisos. E, para isso, é necessário cuidar da boca como um todo, como uma peça única. Reposicionar os dentes, clareá-los, colocar implantes, se for o caso. No caso das gengivas, tratar eventuais periodontites e corrigir suas imperfeições. Do lado estético, o ideal é recorrer a procedimentos que estimulem o próprio organismo a se regenerar. Como por exemplo a estimulação da produção de colágeno.

O sorriso saudável, bonito e harmonioso é desejável em qualquer idade e é saudável, para o corpo e para a alma ter o sorriso dos sonhos. Mas é importante que compreender que o envelhecimento faz parte do processo natural da vida e acontece para todos! Portanto, seja gentil com você, com sua saúde e sua estética. A ciência e a tecnologia estão aí como aliadas para tornar o que é inevitável, o envelhecer, em um processo mais suave.

*Cirurgião-dentista, doutor e mestre em odontologia e especialista em Periodontia 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários