Operadores do Direito e suas novas habilidades

Opinião / 16/07/2020 - 06h00

Mariana Swerts Cunha* 
Raquel Santana Rabelo Ornelas**


O mercado de trabalho está passando por profundas transformações. Dessa maneira, é exigido um profissional altamente qualificado que possua habilidades e competências multidisciplinares.

Neste contexto enquadram-se os operadores do direito, que deverão reunir as denominadas hard skills – habilidade técnica e soft skills – habilidades comportamentais.

Diante dos novos conflitos sociais existentes na contemporaneidade aqueles que exercem uma advocacia colaborativa, voltada para a solução consensual dos conflitos, despontam no mercado de trabalho.

Nesse sentido, é importante que desde a formação acadêmica do aluno seja desenvolvido um olhar crítico para solução das lides, de modo que entenda que o protagonismo não deverá ser do Poder Judiciário e sim dos próprios envolvidos no conflito.

Assim, o profissional do direito desde o primeiro contato com o seu cliente deverá ter uma escuta ativa para entender as dores e inquietações apresentadas, para, a partir daí, desenvolver a forma mais adequada para aquele tipo de conflito.

Nessa toada que as atividades realizadas pelo Núcleo de Práticas Jurídicas da Faculdade Kennedy – NPJ - são pautadas, pois há um compromisso em oferecer aos constituintes um atendimento personalizado e, ao mesmo tempo, garantir aos alunos oportunidade de adquirir as novas habilidades.

Para demonstrar como as atividades são realizadas, destaca-se práticas de conciliação e mediação que são ofertadas pelo Núcleo.

Além disso, são realizadas visitas técnicas perante Câmara de Arbitragem para que os discentes possam entender como são realizadas outras formas de solução de conflitos e como se desenvolve o procedimento arbitral.

Acompanhando as transformações, principalmente na era do Direito.4.0, (quatro ponto zero) há uma preocupação em oportunizar aos alunos o contato com o processo digital. Dessa maneira, o NPJ oferece curso sobre o Processo Eletrônico, na modalidade prática e teórica, bem como palestras para uma qualificação diferenciada dos alunos.

Para que o profissional do direito possa agregar competências e habilidades que o torne um especialista multidisciplinar é necessário que ele tenha, desde a academia, diferentes experiências práticas e teóricas. 

Na esteira do ensino prático, o NPJ proporciona aos alunos uma experiência ímpar de atuar perante o Tribunal do Júri, acompanhados pelo professor da disciplina de Estágio Supervisionado. A atividade visa desenvolver o potencial do discente para criar teses defensivas e argumentar perante os jurados.

Assim, os profissionais da área jurídica devem buscar muito além de uma formação puramente teórica e legalista, mas, também, que possa despertar habilidades comportamentais tão buscadas pelo mercado atual. 

*Professora Mariana Swerts Cunha é Mestre em Direito e Sustentabilidade e Orientadora do Núcleo de Práticas Jurídicas da Faculdade Kennedy
**Professora Raquel Santana Rabelo Ornelas é Mestre em Direitos Fundamentais e Orientadora do Núcleo de Práticas Jurídicas da Faculdade Kennedy

 

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários