Pacientes devem continuar a tratar do câncer de mama

Opinião / 18/07/2020 - 06h00

Annamaria Massahud*

As pacientes oncológicas podem ter a imunidade reduzida devido ao câncer ou pelo tratamento, como os de quimioterapia e radioterapia, ficando mais suscetíveis a complicações por doenças infecciosas. As pessoas idosas e com comorbidades, tais como obesidade, cardiopatia, diabetes e hipertensão, também podem ter seu estado de saúde agravado, se acometidas pela Covid-19.

Diversas ações estão sendo promovidas para prevenção da propagação do novo coronavírus. A Sociedade Brasileira de Mastologia – Regional Minas Gerais alerta que as mulheres com diagnóstico de câncer de mama em tratamento devem redobrar os cuidados no cotidiano para evitar contrair o vírus de modo a manter seus tratamentos e controles de saúde mesmo durante a pandemia.

Para evitar o contágio, a recomendação é manter distanciamento social, uso de máscaras que cubram nariz e boca, além de cuidados de higiene das mãos e manutenção de hábitos saudáveis, como boa alimentação e exercícios físicos.

Os atendimentos médicos foram mantidos, com cuidados de não haver aglomerações e de realizar limpeza frequente dos ambientes de consultórios e clínicas, mesmo na vigência do isolamento social. Para os exames de rotina, a recomendação é entrar em contato com o médico de controle habitual para organizar qual o melhor período de avaliação, já que não há uma definição de quando haverá flexibilização do isolamento social e que cada cidade vivencia uma diferente fase da pandemia

O tratamento do câncer de mama deve ser mantido, contudo, sempre lembrando que nos deslocamentos para a clínica ou hospital para a quimioterapia ou radioterapia, aumenta-se o risco de contaminação, tendo em vista a necessidade de entrar em contato com outros ambientes e outras pessoas.

As cirurgias estão sendo mantidas conforme cada caso e a disponibilidade de equipamentos e medicamentos dos hospitais. Os cuidados consideram a gravidade da situação, a extensão da cirurgia e necessidade de anestesia geral, além da presença, ou não, de câncer.

Em algumas situações, quando não houver condições clínicas para cirurgia, ou se houver colapso do sistema de saúde, ou ainda se o hospital estiver restringindo acesso pelo excesso de casos da Covid-19, o tratamento pode começar com a terapia medicamentosa sistêmica, quimioterápica ou hormonal.

A recomendação é conservar o distanciamento social permanentemente e adotar comportamentos focados em prevenção. Deve-se manter alimentação e hábitos saudáveis, prática de exercícios físicos, mesmo no domicílio, além de se evitar a ingestão de bebidas alcoólicas. Vale lembrar que em caso de alterações mamárias, como endurecimento, nódulo, vermelhidão, feridas ou alteração em exame de imagem, deve-se consultar um mastologista.

*Presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia – Regional Minas Gerais

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários