Padrão na rede de franquias

Opinião / 10/12/2014 - 06h54

* Thelma Lawton Superintendente geral da rede de franquias Number One

A abertura de uma franquia é uma opção cada vez mais acessível para quem quer mudar de área profissional, ou mesmo aumentar a renda. O faturamento do mercado brasileiro de franquias pode chegar a R$ 27 bilhões no segundo trimestre de 2014, uma alta de até 9%, se comparado com o mesmo período no ano passado, conforme dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF).

A expectativa para este ano é crescer 10% em faturamento, 8% em novas redes e 9% em novas unidades. O principal benefício para o empresário que opta por esse tipo de negócio é iniciar um empreendimento com marca reconhecida no mercado e estrutura, tecnologia e metodologias consolidadas. Pela força das marcas disponíveis no mercado, o franchising apresenta bons índices de faturamento nos últimos anos.

O processo para preparar o franqueado se inicia com a formatação do negócio, expondo uma série de procedimentos e métodos de trabalho padronizados. A definição de trabalho passa também pela arquitetura e, principalmente, pelos serviços oferecidos e o atendimento ao cliente.

Toda essa preocupação visa garantir a qualidade dos produtos e serviços em qualquer unidade, reforçando o relacionamento e a fidelização dos clientes. A padronização serve ainda para manter a identidade da franquia em qualquer cidade. Não seguir o padrão pode significar a perda da qualidade, sendo um fator responsável pelo fechamento de franquias. Para assegurar que os padrões sejam preservados, o franqueador precisa realizar uma avaliação do franqueado, identificando quais as expectativas dele com a abertura do negócio. É importante ressaltar a importância desses procedimentos e oferecer, ao mesmo tempo, suporte para auxiliar nas operações.

Ainda sim, após adquirir a franquia, o empreendedor pode questionar algumas ações do franqueador. O questionamento é normal e cabe à empresa identificar as possibilidades de agregar novos valores e/ou diretrizes. Todo o processo deve ser respaldado em um bom relacionamento com os franqueados, preservando alguns princípios como uma comunicação clara, objetiva e constante para esses métodos funcionarem. A falta da eficiência no diálogo pode comprometer as atividades diárias e o entendimento de pontos que envolvem a padronização.

É importante que o franqueador esteja sempre atento ao padrão da empresa, atualizando algumas diretrizes quando necessário. Outro ponto é monitorar o mercado para identificar tendências como oportunidade para alinhar o negócio em busca da excelência.

Ao iniciar o empreendimento, o franqueado preciso entender as regras e padrões das franquias estipuladas pelo operador para manter credibilidade e conquistar o cliente. A comunicação é essencial para delimitar as vertentes da franquia em busca do sucesso. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários