Prefira ser feliz a ter razão

Opinião / 04/07/2020 - 06h00

Mauro Condé*

“Pensar é um dos maiores prazeres da raça humana”

Acabo de voltar de uma viagem rumo ao conhecimento, usando como meio de transporte excelentes livros sobre ciências.

Eles me levaram para a Itália de 1641, em Florença, capital da Toscana, onde fui recebido pelo gênio Galileu Galilei, o pai da ciência moderna, a quem fui logo pedindo:

Ensina-me algo que eu ainda não saiba e tenha o poder de mudar a minha vida para melhor.

Prefira ter a sua mente aberta por curiosidade do que fechada por convicção.

Galileu quebrou paradigmas em série.

Criou um método baseado na experimentação e na linguagem matemática.

Fez da demonstração dos seus métodos por meio de evidências concretas o seu cartão de visitas.

Meça o que pode ser medido e torne mensurável o que ainda não pode.

Galileu inventou um termômetro de água, um instrumento para medir a pulsação das pessoas, a balança hidrostática, o compasso geométrico e ainda aperfeiçoou o pêndulo.

Desenvolveu também o telescópio e com ele descobriu as manchas solares, as montanhas da Lua, as fases de Vénus, quatro dos satélites de Júpiter, os anéis de Saturno e as estrelas da Via Láctea.

Galileu literalmente jogou por terra uma das mais antigas crenças do mundo provando que a velocidade de corpos em queda era determinada pela gravidade e não pelo peso de cada objeto.

Comunique-se da forma mais clara e concisa possível.

Para convencer habilidosamente as pessoas e exercer influência sobre elas afie o machado das suas melhores técnicas de explicação, persuasão e convencimento.

Quanto menos as pessoas entendem, mais elas querem discordar.
Mas se caso estiver lidando com pessoas que resistem como pedras, prefira ser feliz a ter razão e se preciso for negue até o óbvio para seguir adiante.

Foi assim que Galileu escapou da queima na fogueira depois de ser excomungado pela igreja por defender a teoria de que a terra era redonda e se movia em volta do sol.

Publicamente ele desmentiu sua descoberta e com isso acabou ficando anos em prisão domiciliar.

Visionário e sentindo que seus contemporâneos não queriam enxergar o que ele via, preferiu se recolher, recuar e registrar secretamente, para a posteridade, os detalhes de suas descobertas.

Quem hoje visita o túmulo de Galileu descobre escrito no mármore a frase que ele balbuciou ao final do seu falso juramento:
“Contudo, move-se!”

*Palestrante, Consultor e Fundador do Blog do Maluco.
 

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários