Preparo e planejamento fazem bom negociador

Opinião / 05/03/2021 - 06h00

Diego Starling*

“Se eu tivesse apenas uma hora para cortar uma árvore, usaria os primeiros quarenta e cinco minutos afiando meu machado”, afirmou certa vez, Abraham Lincoln. A frase do ex-presidente americano expressa muito bem o que as pessoas devem ter em mente durante seu ofício: preparação e planejamento. Estar prevenido para lidar com qualquer situação é fundamental para a garantia do sucesso, sobretudo no mundo dos negócios.

Ao fazer uma análise minuciosa da conjuntura brasileira, é possível observar que existe certa miopia do senso comum em relação aos processos de negociação (independentemente de se tratar do cenário econômico, político ou jurídico) como um todo e seus resultados. O pensamento unânime propagado entre brasileiros estabelece o talento como principal responsável pelo sucesso, quando a realidade é bem diferente. Características e valores, como caráter, resiliência, proatividade e eloquência são aspectos que também devem ser considerados. 

O cenário econômico atual é uma excelente oportunidade para um bom negociador. A queda sem precedentes de ativos e a desvalorização histórica dos rendimentos em títulos indicam que a bonança ainda demorará a chegar. Por outro lado, a taxa Selic na casa dos 2% também não sugere um bom caminho a se traçar pelos próximos meses. No entanto, é aí que uma pessoa bem preparada se destaca.

Diante de todos esses fatores, é possível encontrar caminhos e alternativas distantes do prejuízo. Os exemplos bem sucedidos nos diversos segmentos do mercado não faltam: os chamados vendedores a descoberto estão deixando os EUA para investir em países emergentes, investidores Pessoa Física trocaram a renda fixa pela variável e apostaram nas criptomoedas.

Outra opção encontrada por alguns foi a compra de imóveis para gerar renda. Para quem tem boa quantia em capital, o momento é oportuno para comprar propriedades para locá-las ou apostar em sua valorização. Os que entendem um pouco mais do mercado financeiro investiram no Fundo de Investimento Imobiliário (FII), que também se apresenta como ótima opção pela sua diversificação de carteira, maior liquidez e a não incidência de Imposto de Renda sobre o rendimento distribuído. 

Para quem não conhece esse tipo de investimento possa entender do que se trata, vale comparar um fundo imobiliário a uma espécie de grupo de investidores que aplica recursos em diferentes tipos de investimentos imobiliários. Em outras palavras, é como se um grupo de pessoas se juntasse para alugar um prédio, galpão ou um shopping.

Não faltam opções. Contudo, é necessário estar bem informado e preparado para lidar com todas as mudanças cruciais para se ter um bom êxito - não necessariamente na área financeira e, sim, em qualquer situação. Não há dúvidas que existem grandes negociadores que ainda não criaram suas oportunidades, justamente pela falta de preparo e planejamento. E é isso que faz com que suas vitórias, muitas vezes, não sejam reconhecidas.

*Sócio fundador da Starling & Associados, empresário e advogado especialista em negociação

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários