Principais doenças ortopédicas evitáveis

Opinião / 22/09/2020 - 06h00

Eduardo Frois*

s lombalgias – popularmente conhecidas como dores nas costas – estão entre as dores que mais impactam na qualidade de vida e são as principais causas de atendimentos nos consultórios ortopédicos brasileiros, seguidas das tendinites nas mãos e das artroses. A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera a lombalgia como um grande problema de saúde pública, principalmente em países ocidentais. A Organização estima que 15% a 20% dos adultos sentem dores nas costas durante um único ano e 50% a 80% deles já experimentaram, ao menos, um episódio de lombalgia ao longo da vida. Já a tendinite é caracterizada pela inflamação de tendões e, de acordo com a OMS, acomete uma a cada cem pessoas no mundo. Por sua vez, a artrose – desgaste da cartilagem – é considerada a quarta doença que mais reduz a qualidade de vida e acomete, em média, 15 milhões de brasileiros, conforme dados do Ministério da Saúde.

A lombalgia é mais frequente em idosos, no entanto, muitos adultos apresentam o problema, sendo necessária uma avaliação da causa por um especialista, que realizará um diagnóstico correto e tratamento eficaz, evitando uma situação de cronificação. As causas da lombalgia são muitas e vão desde má postura a inflamações, passando pelos desgastes ósseos e hérnia de disco. Para aliviar e prevenir os sintomas da lombalgia é importante saber que, além da abordagem terapêutica, deve-se estimular a melhora postural e a prática de atividades físicas com foco no equilíbrio da dinâmica muscular.

A inflamação dos tendões acontecem em qualquer parte do corpo como ombros, cotovelos, punhos, joelhos e tornozelos, mas a região de maior acometimento são as mãos. A tendinite se manifesta por dor na parte dorsal ou ventral, inchaço, vermelhidão, formigamento e dificuldade na movimentação e, apesar de ser mais frequente em pessoas que fazem esforços excessivos e repetitivos, como digitadores, também ocorre por traumas ou infecções. O uso excessivo de celular e tablet é outro fator para o aumento dos casos da tendinite nas mãos e a pandemia da Covid-19, aliada ao home office, tem contribuído ainda mais com esses números. A primeira orientação nestes casos é reduzir o tempo de exposição com melhor posicionamento na utilização desses aparelhos, fazer aplicação de gelo, consumir alimentos com funções cicatrizantes e antiinflamatórias e, sem dúvida, procurar um especialista para prescrição de medicamentos e fisioterapias, se necessário.

Já, a artrose, também conhecida por osteoartrose, ocorre como parte do envelhecimento. Além do desgaste na cartilagem, a patologia pode afetar também ligamentos e membranas. Geralmente, é um processo lento, que tem início a partir da quarta década, mas alguns fatores contribuem com a aceleração desse “envelhecimento articular”, como obesidade, traumas prévios e sobrecarga articular. A prevenção requer hábitos de vida saudáveis, alimentação equilibrada, manter o peso corporal dentro do estabelecido pelo índice de Massa Corpórea (IMC) e praticar regularmente atividades físicas. 

Como percebemos, os maiores problemas ortopédicos são evitáveis, necessitando de práticas simples e mudanças de hábitos. Os tratamentos dessas doenças, na maioria das vezes, não é cirúrgico, sendo a consulta com um ortopedista de confiança e com experiência, essencial para um diagnóstico preciso e correta evolução.

*Ortopedista do Hospital Madre Teresa

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários