Viver nunca foi tão importante: o valor da diversidade

Opinião / 06/08/2020 - 09h04

Raphael Pagotto*

Exclusão mata. Segregação marginaliza. Integração reforça relações de poder. Inclusão transforma. Diversidade é o que garante a continuidade da vida.

Nada é do dia para a noite e não existem soluções prontas quando falamos de cultura organizacional e gestão de mudanças. Em meio a uma pandemia múltipla e biopsicossocial, onde corpos e relações adoecem, compreender o ecossistema se torna essencial para reforçar nossa Im(h)u(ma)nidade. O contágio despertou a consciência da importância do que chamamos cadeia de valor e qual o nosso protagonismo como agentes da mudança. Mas ainda estamos lidando com a realidade sem alterar a perspectiva.

A maioria de nós está há 100 dias lidando com imobilidade, imprevisibilidade e incertezas – ao menos no âmbito pessoal. Parece que os sonhos congelaram. Ontem mesmo conversava com uma amiga: “Até quando iremos pensar que isso vai passar, adiando planos, ações, cuidados com saúde e alimentação, alterando formas de relações, tratando como algo temporário?”.

Iniciativas temos muitas. Conexões, nem tanto.

Eu gosto de acreditar em uma mudança silenciosa e permanente, além do achatamento da curva, da espera da passagem do pico. A distância está nos aproximando, é fato. Mas fica a reflexão sobre de qual modo: excluindo ainda mais quem já estava fora do nosso foco? Segregando e expondo a linha entre quem está fora e dentro das nossas relações ainda mais limitadas? Criando a falsa realidade de que estamos fazendo a nossa parte com nossas campanhas de marketing e textões nas redes sociais? Retardando o processo de transformação porque tem coisas mais urgentes do que pensar em diversidade nesse momento e não há budget para projetos mais estruturados?

Viver nunca foi tão importante. Principalmente quando quem queremos vivo é alguém com o qual nos importamos. Qual é o tamanho da diversidade que cabe em nós? Qual é o tamanho da diversidade que cabe dentro da sua empresa?

Parafraseando Cortella: “A vida é curta para ser pequena. Importar significa colocar para dentro, mas é preciso ir além da borda. É preciso transbordar”

*Líder de Projetos em Sustentabilidade, Diversidade e Inclusão na MCM Brand Group

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários