A inovação no Direito

Tempo de Inovação / 23/09/2021 - 06h00

Inovação é a palavra do momento. Empresas e pessoas precisam inovar, para não serem engolidas pelo mercado - em constante e rápida transformação. No Direito não é diferente. São várias as mudanças que têm impactado a relação entre advogado, cliente e a própria Justiça.

Neste tempo de pandemia, se pode observar, por exemplo, a continuidade dos processos que não ficaram paralisados, mesmo com o distanciamento social. A tecnologia possibilitou que as audiências acontecessem de maneira remota. Juízes, advogados e partes estão podendo participar ao vivo, sem os adiamentos.

De acordo com o advogado Alex Dylan, sócio do PDSC Advogados, espera-se que essa forma de realização das audiências permaneça. “Embora não tenha dado celeridade aos processos, creio que, com o tempo, será aperfeiçoada - possibilitando diversas melhorias”, acredita.

Outra tendência inovadora observada por Dylan é a utilização da Inteligência Artificial, através das máquinas, que além de fazer análises, conseguem aprender e tomar decisões. “Um exemplo é o Watson, uma plataforma cognitiva desenvolvida pela IBM, que tem ajudado advogados a agilizar a prestação de alguns serviços jurídicos”, explica ele.

Para se ter uma ideia, a tecnologia Watson foi responsável por criar um robô chamado Ross, desenvolvido na Universidade de Toronto, capaz de analisar mais de um bilhão de documentos por segundo. Assim, dentro do Lawtech (lei e tecnologia), uma série de organizações e startups têm criado projetos, nos quais utilizam a Inteligência Artificial para contribuir e facilitar procedimentos jurídicos, tais como pesquisas avançadas em jurisprudência e processos jurídicos públicos, análise minuciosa de dados, elaboração de contratos, resolução de dúvidas de natureza contábil e jurídica, dentre outras facilidades. Por mais que pareça assustador, trata-se de uma tendência que está por vir e quem não se adaptar dificilmente sobreviverá.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários