É Libertadores, meus amigos!

Álvaro Damião / 26/02/2019 - 07h00

Quarta-feira, dia de bola rolando no futebol. Dia de Libertadores. Dia de lotar o Independência e empurrar o Atlético para mais uma fase da competição mais importante da América. Dia de escrever mais uma página da história internacional do Galo.

O adversário de amanhã é o Defensor. Uma equipe uruguaia que também é conhecida, por suas cores (violeta e branco) como La Violeta ou La Viola. É o terceiro clube que mais triunfou no Uruguai, com quatro campeonatos uruguaios, três torneios Apertura e quatro Clausura. O Defensor também é muito conhecido no país do Doce de Leite pelo seu basquete. É o maior campeão nacional, com 20 títulos. Na galeria de troféus ainda constam dois Sul-Americanos, cinco Campeonatos Rioplatense e um Intercontinental. Baita tradição!

Amanhã nada disso entrará em campo no Horto. Quando a bola rolar, não há tradição em basquete, não há campeonatos nacionais em jogo. É Libertadores, meus amigos! Uma competição que o Galo gosta e sabe jogar – embora goste de colocar mais emoção do que o necessário.

E por falar nisso, é bom que o time alvinegro amanhã dê, ao menos, 90 minutos de paz para o torcedor. Não há motivos para se complicar a partida!

Como venceu o primeiro jogo por 2 a 0, o Atlético pode até perder por um gol de diferença que avança na competição. Vitória do time uruguaio por 2 a 0 leva a decisão para os pênaltis. Já diria Galvão Bueno: Haja coração! Triunfo dos uruguaios por três ou mais gols ou dois gols de diferença, desde que com placares superiores a 3 a 1, colocam o time do Defensor na próxima fase. Ou seja: jogo em casa, vantagem no placar, arquibancada lotada. Um ambiente totalmente propício para a festa atleticana. Mas vale ressaltar: me ajuda a te ajudar, Galo!

Sei que não é fácil administrar o elenco em duas competições simultâneas, inclusive na última coluna defendi Levir Culpi por usar o time alternativo no Campeonato Mineiro. Neste momento o foco é a Libertadores e, por isso, os jogadores titulares precisam ser preservados. Uma lesão “boba” pode atrapalhar os planos do Atlético. O importante é que o Galo está conseguindo se manter na ponta das duas competições. Sinal de que o trabalho do técnico está sendo bem executado e compreendido pelo elenco. Afinal, já são 25 gols em 11 partidas (Mineiro e Libertadores). Média superior a dois gols por jogo. Palmas, professor!

Que os números melhorem cada dia mais!

Que venha o Defensor!

Tamo junto e até a próxima!

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários