Que venha 2020 na Cidade do Galo

Álvaro Damião / 17/12/2019 - 07h00

O ano do Atlético não foi dos melhores. Todo mundo esperava mais que o 13º lugar na tabela do Brasileirão. Faltaram organização e planejamento, em todos os setores. Nesta semana saiu a informação de que o Galo teve prejuízo nos jogos em que foi mandante. Das 19 partidas em casa, o Atlético teve prejuízo em 11. O montante do prejuízo chega quase a R$217 mil. Número altíssimo que precisa ser analisado com cuidado para que não se repita no próximo ano.

Aliás, muita coisa precisa ser repensada pela diretoria alvinegra. Uma delas é o sócio do futebol, que, inclusive, já está sendo reformulado. Outro ponto que precisa ser analisado é o número de cortesias cedidas pelo clube. Na última partida do Atlético como mandante, diante do Botafogo, foram quase 2.500 cortesias. Vale ressaltar que esta partida foi disputada no Mineirão e foi o jogo que mais deu prejuízo ao clube. O saldo negativo foi de R$186.238,75.

O motivo pelo qual estou alertando sobre esses números é justamente pelo fato de o Galo ter adotado o Mineirão como casa para o próximo ano. Estádio maior, gastos maiores. E será que teremos públicos maiores para suprir essas despesas? Bem, todos sabem como funciona a “mágica” dos estádios cheios.

Se o time vai bem e está disputando algum título, arquibancadas lotadas, se isso não acontece, arquibancadas vazias, diretoria precisa abaixar os preços e os prejuízos voltam a aparecer.

E para que o time vá bem nos campeonatos e dispute algum título é preciso investir nas contratações. O famoso “vai e vem” do mercado da bola já começou. A diretoria já anunciou a contratação do lateral-direito Maílton, que disputou a Série B pelo Operário do Paraná. É um jovem de 21 anos disputou 28 jogos pelo time paranaense e marcou quatro gols.

A lista dos que não ficam pode ser atualizada a qualquer momento, mas Alerrandro foi vendido ao Bragantino, Luan irá defender um time japonês, Léo Silva não teve o contrato renovado e deve assumir um cargo nas categorias de base do clube, Geuvânio, Wilson e o técnico Vagner Mancini também não ficam na Cidade do Galo.

Agora é aguardar os próximos nomes que serão anunciados pela diretoria e desejar boa sorte. Que 2020 seja um ano melhor para o futebol mineiro.

Tamo junto e até a próxima 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários