Paolo Basseti deixará comando da Ternium no Brasil

Amália Goulart / 05/04/2018 - 06h00

O executivo Paolo Bassetti deixará o comando da Ternium/Techint no Brasil no próximo dia 1 de julho. Ainda não foi divulgado o substituto de Bassetti. 
O italiano de Milão preside a Ternium no Brasil desde setembro de 2014, quando deixou a vice-presidência da Usiminas. Ele sai do grupo para assumir outro desafio, porém, ainda não foi revelado o destino do executivo.

A Ternium/Techint é o maior acionista da Usiminas. O grupo ítalo-argentino e os sócios japoneses da Nippon fecharam um acordo histórico, em fevereiro, que encerra a disputa acionária na siderúrgica mineira.

Bassetti encerra o ciclo na Ternium com o desfecho positivo para a maior batalha entre sócios na siderurgia mineira. 

Pimentel considera “inaceitável” declaração de general

O governador Fernando Pimentel (PT) classificou ontem como “inaceitável” declarações de integrantes das Forças Armadas sobre o julgamento do habeas corpus do ex-presidente Lula. Ele teve forte atuação no período da ditadura no Brasil. Foi perseguido, preso e torturado em 1970 no Rio Grande do Sul. Ficou nove meses na cadeia, submetido a humilhações dos soldados dos anos de chumbo. 

“É inaceitável que um membro das forças armadas se manifeste de maneira a coagir o andamento dos processos democráticos. Cabe ao STF julgar o que é constitucional e caberá à população escolher seu representante em 2018. O momento é de luta pela defesa da democracia”, escreveu Pimentel no Twitter dele. 
Anteontem, o comandante do Exército, general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, disse repudiar a impunidade, uma mensagem entendida por muitos como contrária ao ex-presidente Lula. “Nessa situação que vive o Brasil, resta perguntar às instituições e ao povo quem realmente está pensando no bem do país e das gerações futuras e quem está preocupado apenas com interesses pessoais?”, questionou o general nas redes sociais. Ontem, o comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro do ar Nivaldo Luiz Rossato, ecoou o discurso do colega. 


E pode?

O deputado federal Cabo Júlio comunicou ontem à imprensa, por meio da assessoria de imprensa, que o filho, Bruno Júlio, irá se filiar ao PHS para disputar as eleições deste ano. 

Conforme a nota, o evento de filiação partidária acontecerá nas dependências da Prefeitura de Belo Horizonte em horário de expediente: hoje, às 14 horas. E mais, Bruno Júlio será recebido pelo prefeito Alexandre Kalil, pelo presidente do PHS, deputado federal Marcelo Aro e outros nomes da legenda. 

Vale lembrar: Bruno Júlio foi secretário da Juventude no governo do presidente Michel Temer. Teve que deixar o posto depois de uma infeliz declaração ao jornal O Globo. Na ocasião, ele repercutiu a chacina de presos em Roraima. Júlio disse que “tinha que matar mais, tinha que fazer uma chacina por semana”. 

Proporcional

O Democratas, sob o comando de Rodrigo Pacheco, discute hoje a formação de chapas proporcionais para as eleições deste ano.



 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários