Petistas comparam caso Lula a Aécio

Amália Goulart / 16/02/2018 - 06h00

O deputado estadual Rogério Correia (PT mineiro) expôs uma corrente de pensamento que já é unanimidade nas fileiras do partido: o caso da prisão do ex-presidente Lula compara-se ao do senador Aécio Neves (PSDB). E é justamente essa a ideia que o partido irá passar aos correligionários. 

“Estamos esperando e creio que haverá o habeas corpus. O caso do Aécio Neves foi muito mais escandaloso. Se Lula não conseguir o habeas corpus, seria uma violência com relação ao que ocorreu até hoje”, afirmou.


Lula pediu ao Supremo Tribunal Federal um habeas corpus para impedir que seja preso. Correia referiu-se ao pedido de prisão de Aécio que o então procurador-geral, Rodrigo Janot, sustentou junto ao mesmo Supremo. Mas, na ocasião, os ministros deixaram Aécio em liberdade. Ele é investigado na operação “Lava Jato”. Foi citado por delatores em várias ocasiões. Sempre negou qualquer irregularidade com dinheiro público, assim como Lula. 

Se for para comparar, ainda vale a lembrança do caso do ex-governador Eduardo Azeredo (PSDB), condenado em segunda instância (mas não por unanimidade, como Lula) e que até hoje espera julgamento de recursos.

MDB
O presidente do MDB, vice-governador Antonio Andrade, marcou para segunda-feira uma reunião do Diretório Estadual para definir se a legenda terá ou não prévias para decidir sobre a possibilidade de candidatura própria. Caso fique definido que haverá votação, ela será realizada no dia 17 de março. 
O MDB vive uma disputa por poder. Andrade é rival do governador Fernando Pimentel (PT), que conta com o apoio de grande parte das bancadas.

Pena de morte
Pesquisa do Instituto Paraná revelou que 62,5% dos brasileiros são favoráveis à pena de morte para crimes bárbaros. Outros 31,1% são contrários e o restante não tem opinião formada. 
A pena de morte tem mais adeptos entre as mulheres. Quando os entrevistados são estratificados por idade, são os adolescentes de 16 a 24 anos aqueles que mais defendem a medida. 

Aeródromo
A cidade de Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, prepara-se para receber uma aeródromo. O empreendimento é privado, mas tem um dedo do prefeito Vittorio Medioli (PHS), entusiasta da ideia. 
A construção do aeródromo custará  R$ 140 milhões e já foi autorizada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Também recebeu licença ambiental do Conselho Municipal de Desenvolvimento Ambiental. 

Início lento
O começo de ano deve ser devagar na Assembleia Legislativa. Na próxima terça-feira o presidente Adalclever Lopes (MDB) deve reunir o colégio de líderes e a Mesa Diretora para discutir prioridades. 
Vários vetos do governador Fernando Pimentel (PT) estão na pauta e podem trancá-la a partir do próximo mês. Até lá, os deputados devem votar apenas proposta que transforma a comissão especial das mulheres em comissão permanente. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários