Começou a disputa

Coluna Esplanada / 14/08/2019 - 06h00


Pela primeira vez desde a redemocratização o Partido dos Trabalhadores pode abrir mão de lançar candidato à Prefeitura de São Paulo, o filé-mignon de vitrine nacional com PIB maior que muitos países. Pesa a derrocada da imagem do partido e a prisão do ex-presidente Lula da Silva na Operação Lava Jato. Fontes do PT confirmam que o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo declinou de convite para disputar, e a cúpula da legenda avalia coligação com o PSB. Conforme a Coluna antecipou semana passada, o ex-governador Márcio França (PSB) deve ser o candidato de uma ampla frente de centro-esquerda, com um petista de vice. O mais cotado é Jilmar Tatto.

Projeto 2022
Tatto e a família são fortes políticos no Grande ABC. O PT sabe que é alto risco uma candidatura sua na capital. Seu projeto e o do partido é candidatura ao Senado em 2022.

Tô logo ali
Conhecido professor constitucionalista na capital, José Eduardo Cardozo quer ajudar o PT, mas fora da política. Seu projeto é tocar a banca advocatícia com sócios. 

Nas mãos de Deus
A ministra Damares Alves, dos Direitos Humanos, vai pular de pára-quedas pela campanha Setembro Amarelo, a convite da Confederação Brasileira de Paraquedismo.

Turma do... 
Uma insatisfação generalizada sobre uma tradição decana chegou ao Ministério da Justiça. Agentes penitenciários federais protocolam nota de repúdio no MJ contra a ordem no sábado, nas unidades prisionais, para entregarem cesta com chocolate, bolo, refrigerante aos presos das penitenciárias no Dia dos Pais.

...cadeado 
As cestas foram entregues - muitas delas bancadas por parentes dos detentos, advogados ou pela própria direção dos presídios. Mas esse laço ‘amigável’ é constrangedor para a turma da chave do cadeado. A assessoria informou que o ministro Sérgio Moro ainda não foi notificado do assunto.

5 Estrelas 
No Natal, a bandidagem ganha panetone caro, champanhe sem álcool e outros mimos que nem os próprios agentes federais levam para casa.

Compasso de espera
Apesar da articulação do Planalto para evitar mudanças no texto da reforma da Previdência aprovado pela Câmara Federal, senadores preparam emendas para alterar “equívocos” da proposta. Se a PEC for modificada no Senado, deverá voltar para análise dos deputados. Esse é o medo dos federais, do governo e do país inteiro.

Detalhes
O senador Esperidião Amin (PP-SC), por exemplo, defende alteração no Art. 21, para deixar clara a idade mínima para o exercício da atividade de minerador em subsolo e a inclusão de servidores de estados e municípios nas mesmas regras previstas para servidores civis da União. O senador Reguffe (Sem partido-DF) prepara emenda que prevê mudanças na aposentadoria dos parlamentares. E são apenas dois de vários pontos.

TCU & UTC
A ordem das letras não altera a encrenca vindoura: O ministro do STF Edson Fachin acaba de votar, na Segunda Turma, pelo afastamento do ministro Aroldo Cedraz do Tribunal de Contas da União. Ele é suspeito de receber R$ 2,2 milhões de propina da enrolada UTC, abatida na Lava Jato, através do escritório do filho advogado, Tiago Cedraz. Faltam os votos dos outros quatro ministros da Segunda Turma. 

Frevo eleitoral
O governador Paulo Câmara (PE) não resistiu às pressões da família Campos para demitir o presidente da Companhia de Saneamento, Roberto Tavares, que, segundo críticos, causava problemas ao principal cabo eleitoral do deputado federal João Campos na eleição de prefeito do Recife. O prefeito Geraldo Júlio pedia sua cabeça.

Esplanadeira

# Técnicos da Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro foram à Bahia treinar colegas na Capacitação sobre Inspeção em Serviços de Quimioterapia. O evento 
se estenderá até o dia 16 de agosto.

Com Walmor Parente e Equipe DF, SP e Nordeste

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários