A retomada da economia no pós pandemia

Irlan Melo / 26/04/2021 - 06h00

 

Apesar do ritmo acelerado da vacinação no Brasil, o enfrentamento da pandemia rompeu os limites da saúde e tomou a esfera política. No meio de todas as guerras de narrativas surge um grande desafio já previsto por alguns e ignorado por outros: a economia.

 

O impacto foi de grandes proporções. O desemprego subiu para 13,5% em 2020, a maior taxa já registrada. No total são cerca de 13,4 milhões de brasileiros desempregados. Ao todo, faltou trabalho para 31,2 milhões de pessoas. Esse contingente de subocupados inclui, além dos desempregados, os que trabalharam menos horas do que poderiam e os que estavam disponíveis para trabalhar mas não procuravam uma vaga por algum motivo qualquer.

 

Segundo o IBGE, o Produto Interno Bruto brasileiro recuou 4,1% em 2020. Esse número foi puxado pela forte queda no setor de serviços, que representa 70%, e se baseia em atividades de atendimento ao público. Mostra o quão urgente é a vacinação contra a Covid-19. A queda só não foi pior porque a injeção de recursos pelo auxílio emergencial e outras medidas econômicas de resposta à crise evitaram que as projeções mais pessimistas se concretizassem.

 

Não vejo uma alternativa para a saúde que não passe pela vacina e para a economia que não passe pelo incentivo ao empreendedorismo. É preciso desburocratizar o processo de aberturas de novas empresas, reduzir as cargas tributárias e dar liberdade para a iniciativa privada. Só assim vamos gerar emprego e renda. Como dizia o ex-presidente americano Ronald Reagan, “acredito que o melhor programa social é um emprego.”

 

Como vereador, tenho trabalhado nesse sentido. Sou o presidente da comissão especial de estudo para desburocratização e simplificação de processos, leis e atividades do setor econômico de Belo Horizonte, que tem como objetivo revogar normas que atrapalham empreendedores e agilizar licenciamentos, beneficiando, sobretudo, pequenos negócios ou negócios de baixo impacto, e contribuindo para a geração de emprego e renda.

 

Sou também coautor do projeto de Declaração Municipal de Direitos de Liberdade Econômica. O objetivo do PL 729/19 é desburocratizar o ambiente de negócios em Belo Horizonte, principalmente no âmbito das relações microeconômicas para os pequenos empresários, os microempreendedores, ou pessoas físicas que exercem atividade econômica e não conseguem prosperar devido à elevada carga burocrática que aumenta os custos de transação como um todo.

 

Todas essas ações irão incentivar a abertura de novas empresas e a geração de emprego. Além dessas e outras iniciativas, criei um grupo de empregos no Whatsapp onde compartilho dezenas de oportunidades todos os dias. São mais de 2 mil pessoas alcançadas diretamente e várias têm conseguidos empregos. Para fazer parte, acesse o link: bit.ly/empregosirlanmelo

 

Pelo seu direito, pela justiça.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários