Os mortos vivos da Vale

Irlan Melo / 15/04/2019 - 06h00

Mahatma Gandi em uma de suas famosas frases disse: “O futuro dependerá daquilo que fazemos no presente.”


Na condição de relator da CPI das Barragens, que apura a situação do abastecimento de água em BH e Região Metropolitana, tive um grande choque no último dia 4 que relatarei neste espaço semanal. Porém, antes, gostaria de falar dos mortos vivos deixados pela ganância, irresponsabilidade, inconsequência e incompetência de uma empresa chamada Vale.


Os mortos vivos da Vale são diferentes daqueles do seriado “The Walking Dead, que são zumbis, cujo estereótipo se define como um cadáver reanimado. Os mortos vivos da Vale gritam diariamente, estão entre as 70 famílias que ainda têm entes desaparecidos sobre a lama. São, ainda, um grupo de 100 empresários, entre eles donos de pousadas e de restaurantes do distrito de São Sebastião das Águas Claras, popularmente conhecido por Macacos, no município de Nova Lima, que solicitam atenção e respeito. São os moradores de Brumadinho e recentemente toda a população de BH e Região Metropolitana que podem sofrer com o desabastecimento de água potável. O que ocorreu ali não deve ser chamado de acidente, mas sim de crime. 

Nesta semana uni minha voz à voz de tantos outros para exigir da Vale respostas rápidas para que BH e Região Metropolitana não tenham uma colapso hídrico, não fiquem sem água. Uni minha voz à voz de tantos outros para gritar e exigir dessa empresa que, de forma emergencial, construa uma nova fonte captação de água para BH e região.

No último dia 4, eu me reuni com o Superintendente da Copasa, Rômulo Perilli, e o que ouvi me deixou assustado, ansioso e preocupado. Caso a Vale não construa, emergencialmente e imediatamente, uma nova fonte captação de águas, BH irá sofrer com o desabastecimento a partir de março de 2020. 


Ressalte-se que a referida CPI já realizou visitas técnicas à captação da Copasa, em Brumadinho (Córrego do Feijão – Rio Paraopeba), e Nova Lima (Sistema Rio da Velhas) e nas visitas fomos informados da necessidade de ações imediatas. A CPI terá reuniões neste mês com o governo de Minas; Ministério Público Estadual e município de Belo Horizonte, e a esperança surge com uma audiência que para o próximo dia 9 de maio. Para tanto, peço a todos que nos ajudem, assinado um abaixo-assinado virtual que busca pressionar a Vale para que construa uma nova fonte de captação de água para nossa cidade. 


Pelo seu direito, pela justiça. #acordabh

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários