Uma nuvem de lágrimas

Irlan Melo / 25/01/2021 - 06h00

Começamos o ano com velhas notícias: A av.Tereza Cristina, região Oeste de BH inundou novamente. Os moradores perderam seus pertences e graças a Deus não tivemos mortos. São vários prejuízos materiais, incluindo a perda do asfalto, fiação e vários veículos que foram levados pelas águas. Uma verdadeira nuvem de lágrimas inunda a cidade.

Desde o início de 2017 tenho recebido diversas denúncias de munícipes alegando e demonstrando, os estragos provenientes das fortes chuvas em especial na Tereza Cristina. A destruição causada pelas chuvas me preocupou muito, tendo me mantido focado em tomar todas as medidas cabíveis para exigir do Poder Executivo Local, no caso o município de Belo Horizonte, o planejamento e execução das obras necessárias na contenção do Ribeirão Arrudas.

As últimas as chuvas chegaram a 80mm de maneira concentrada na região Oeste de BH, região limítrofe do Município de Contagem. Em decorrência das chuvas o Córrego Ferrugem encheu e ao encontrar o Ribeirão Arrudas e confluência é feita em um ângulo de 90º, o que leva a um impacto gigantesco na região. A consequência foi a destruição de 2,25km da Avenida Tereza Cristina, na altura da intercessão com a via 210. 

A cidade de Belo Horizonte tem realizado vários investimentos e obras na construção de bacias de detenção de águas pluviais (Bonsucesso e Jatobá – já executadas e Camarões, Olaria e Indústrias em execução), o que retém cerca de 1 bilhão de metros cúbicos de água que deveria escoar na Avenida Tereza Cristina, mas o trabalho realizado apenas por parte da Capital Mineira em nada adianta sem o compromisso e efetividade do Município de Contagem. 

São três as obras necessárias de bacias de detenção; uma no Córrego Ferrugem, uma no Córrego Riacho das Pedras (Praça Rio Volga) e a terceira também no Riacho das Pedras (Toshiba), todas de responsabilidade do Município de Contagem. Conforme mencionado a confluência do Córrego Ferrugem é em 90° com o Ribeirão Arrudas, o que dificulta o escoamento hidráulico nesse ponto. O Ferrugem incrementa quase 50% da vazão a jusante da confluência.
O município de Contagem tem conhecimento da necessidade das obras, mas não apresenta nenhuma previsão de início das mesmas. O mesmo cenário ocorreu em janeiro de 2020, fortes chuvas e grande destruição da Av. Tereza Cristina, a cidade de Belo Horizonte arcou com o prejuízo de 5,4 milhões de reais na reconstrução da via e o fez em 5 meses. Um ano após Belo Horizonte se vê obrigada a reparar os danos frente a tal situação. 

Já representei junto ao Ministério Público para que somem esforços conosco para que possamos solucionar, de forma definitiva, esse mal que assola nossa cidade. Tenho convicção que iremos vencer pois a cidade e principalmente os habitantes da mesma têm o direito de viver em paz e tranquilidade onde escolheram morar. 

Nosso trabalho seguirá firme até a vitória e não irei descansar enquanto todos os entes federativos fizerem a sua OBRIGAÇÃO. 

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários