Área de lazer é sempre um benefício para os moradores?

Kênio Pereira / 24/05/2021 - 06h12

Muitas pessoas sonham em morar em um edifício que disponha de variadas áreas de lazer, que às vezes são comparáveis a verdadeiros clubes diante da estrutura oferecida aos condôminos. Esses serviços enchem os olhos, mas ao decidir adquirir um apartamento, é preciso escolher com a razão e não com a emoção, pois o comum é que a grande maioria dos proprietários nesses condomínios com áreas de lazer não usufruam desses benefícios de modo a compensar o seu custo. E o que é para ser vantajoso, torna-se um prejuízo ou incômodo com o barulho.

A vontade de possuir uma moradia completa, que seja um local de descanso e lazer, deve ser avaliada com cautela, pois os condomínios de alto padrão ou os que possuem centenas de condôminos costumam oferecer serviços que visam o bem-estar dos moradores. Sauna, academia, piscina, quadras de tênis e peteca, playground, salão de festas, churrasqueira, espaço gourmet, são alguns dos “bônus” que têm sido disponibilizados em edifícios residenciais. Porém, cada comprador tem um perfil de utilização.

Para alguns, esses atrativos podem ser, na prática, uma ilusão, caso não sejam devidamente aproveitados.

“Não existe almoço grátis”

A manutenção e a conservação de um edifício geram diversas despesas, sendo essas consideravelmente aumentadas quando há serviços extras. Afinal, inevitavelmente, a piscina, as quadras do condomínio precisarão de manutenção, assim como os equipamentos da academia ou os brinquedos do playground. Equivoca-se quem adquire um apartamento considerando apenas o preço pago na compra, pois o valor da quota condominial é muito significativo no orçamento da maioria das pessoas e torna-se ainda mais elevado em razão dos custos decorrentes do lazer coletivo.

Essa reflexão é fundamental para analisar o custo/benefício do investimento em imóveis. Algumas perguntas que devem ser feitas antes de comprar um apartamento com área de lazer no edifício: vou usar realmente a piscina, a academia? E a sauna? Será mais interessante usar esses equipamentos do prédio ou os do clube, com maior estrutura? Essas e outras questões precisam ser enfrentadas previamente, para que não haja arrependimentos no futuro, que trarão prejuízos ou até mesmo custos e perda de tempo com uma nova mudança.

Espaço gourmet causa barulho

Há também os incômodos que ocorrem em razão das confraternizações realizadas no espaço gourmet e a fumaça da churrasqueira. É inevitável que um grupo de pessoas, com conversas calorosas e gargalhadas, muitas vezes embaladas por música ao vivo, deixe de causar barulho. Nesses encontros e nos jogos na quadra surgem também os palavrões e brincadeiras perigosas resultantes do excesso de bebidas.

O morador que optar por residir em um local com áreas de lazer, deve ser tolerante, pois do contrário, terá discussões constantes com vizinhos que ultrapassem os limites e horários apropriados. Naturalmente, se uma pessoa não suporta músicas e comemorações, não deve morar em um edifício que tenha área gourmet ou quadras e salão de festas perto das janelas do apartamento.

Cada pessoa tem um perfil de moradia, sendo importante identificá-lo, para garantir o sossego e a tranquilidade que o “lar doce lar” deve ter.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários