Efeitos ocultos

20/08/2021 às 17:38.
Atualizado em 05/12/2021 às 05:43

Eu queria falar sobre os riscos ocultos e indiretos da Covid para as mulheres, tão fatais quanto a doença, em virtude da queda brutal dos números de mamografias realizadas desde o início da pandemia. Os motivos são diversos, como os receios ligados à própria Covid, mas passam por uma série de outros estigmas, como a vergonha e desinformação e o preconceito que as mulheres com mais de 50 anos continuam suportando, ano após ano, mesmo sendo esse o grupo prioritário de acompanhamento para prevenção ao câncer de mama.

Algum ativista de plantão, todavia, virá me dizer que não tenho “lugar de fala” sobre o tema... Mais uma das maluquices desse mundo em que todos se sentem no direito de censurar as opiniões e manifestações de todos...

Eu queria falar sobre o câncer de mama porque tive uma conversa muito sensível e profunda com um grupo de vereadoras de Belo Horizonte, em uma conversa provocada pela presidente Nely Aquino comigo e o secretário de Saúde, para que ela pudesse nos contar sobre os desafios que viveu no diagnóstico recente de um câncer de mama e das enormes dificuldades enfrentadas pelas mulheres, especialmente as mais pobres, até o diagnóstico. Ela, Fernanda Altoé, Flávia Borja, Marcela Trópia e Professora Marly me sensibilizaram com um clamor: precisamos pedir às pessoas que voltem a fazer suas consultas e exames, imediatamente.

Para evitar o patrulhamento, contudo, vou falar do câncer de próstata, que atinge aos homens (aqui devem me permitir “lugar de fala” – e pensar que vivi até recentemente sem saber que coisa era essa). Os homens também não estão comparecendo aos consultórios médicos para os exames de toque e PSA. A pandemia os espantou das Unidades Básicas de Saúde e dos consultórios particulares. O preconceito faz com que eles ignorem os sintomas e nunca conversem sobre o tema. A vergonha faz com que não procurem o médico mesmo quando percebem que algo está errado. E o medo faz com que fujam do tratamento.

Acabam migrando de casos que poderiam se tratados para eventos fatais e dolorosos para eles e para as famílias. Não tenha preconceito, não sinta vergonha, não sucumba ao medo! Procure o médico, realize os exames, faça o tratamento! 

A situação das mulheres é ainda mais grave, pois o câncer de mama é o que mais mata entre elas e pode ser evitado e tratado. Você que tem mais de 50 anos, vá ao médico, faça o exame e cuide de você! É o maior presente que as mulheres da nossa vida podem fazer por nós.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por