Não-verbal na cidade

Professor Wendel / 18/05/2020 - 06h00

Em minhas leituras sobre cidades, deparei com um estudo interessante da arquiteta e professora Lucrécia D’Alésio Ferrara, que analisa como os prédios de uma cidade expressam arte e cultura e chegam até a “contar” histórias através dos detalhes de sua arquitetura. Se a gente começar a observar mais atentamente prédios de Belo Horizonte, vamos deparar com belos detalhes artísticos. Vamos começar pelo Edifício Acaiaca, no centro da cidade, inaugurado em 1943 e que teve suas belas e grandes efígies indígenas restauradas recentemente. Segundo estudiosos, as efígies são fruto de uma época de transição para o Modernismo, quando são incorporados à arquitetura elementos da cultura nacional. 

Outro símbolo de BH é o viaduto Santa Tereza, inaugurado em 1929 e foi um dos primeiros do país a utilizar concreto armado em sua estrutura e chama a atenção seu arco parabólico. Outra bela edificação é o Palácio da Justiça, na avenida Afonso Pena, inaugurado em 1912, possui uma bela decoração, como o vitral representando a Justiça (deus grega Têmis), as frisas superiores em baixo-relevo que representam alegorias à Justiça romana e outros. Também o belo conjunto arquitetônico da Pampulha, construído na década de 1940 e hoje, Patrimônio Cultural da Humanidade é um importante ícone da nossa capital, que influenciou toda a arquitetura moderna brasileira. 

O belo prédio da Praça da Estação, inaugurado em 1922, com seu estilo eclético, abrigou o primeiro relógio público da cidade. E assim, muitas outras construções como a Serraria Souza Pinto, o conjunto de prédios da Praça da Liberdade e muitas outras edificações. Basta um olhar mais atento para vários locais da nossa capital para perceber detalhes artísticos, seja nas edificações mais antigas quanto nas modernas. 

A partir destes exemplos, podemos entender que estas edificações expressam uma comunicação não-verbal, segundo a professora Lucrécia em sua obra. Este tipo de comunicação é realizado sem o uso da palavra falada, que inclui o contato visual. É justamente este contato visual que nos mostra muitas imagens da cidade, que expressam artes. E como a arte remete ao belo, é por isso, que ficamos encantados com muitas edificações e locais de nossa cidade, que acabamos elegendo como símbolos, que se tornam referências urbanas e atravessam os tempos. Nossa capital tem centenas de edificações que com sua beleza, qualificam o ambiente e encantam as pessoas. Um importante patrimônio que expressa várias formas de arte e que deve ser preservado. 

 

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários