Ajuda da psicologia na criação dos filhos

Simone Demolinari / 07/05/2020 - 07h00

É preciso muita atenção na hora de educar os filhos, pois é na infância que se estabelecem os processos psíquicos que irão acompanhá-los pelo resto da vida. 

Algumas dicas fazem toda diferença na formação psicológica das crianças. Entre elas: 

- Evitar comparação entre filhos - o ato de comparar sempre eleva a característica de um em detrimento de outro. Isso pode gerar, no exaltado, a sensação de superioridade, e, no outro, a de menos valia. O ideal é abarcar cada um com sua particularidade e respeito à individualidade. 

- A presença dos pais contribui para a segurança e autoconfiança dos filhos - o conforto físico e financeiro não basta, é preciso a presença e a interação no mundo da criança para que ela se sinta protegida. 

- Evitar apontar erros o tempo todo - crianças submetidas a constantes críticas tendem a ter medo de frustrar os pais e podem acabar desenvolvendo uma obrigatoriedade que mais tarde se manifeste num perfeccionismo, transtorno obsessivo ou até em copiar o modelo e se tornar uma pessoa hipercrítica. 

- Impor limites - os filhos precisam saber quais os limites da casa, do comportamento e da conduta. Filhos criados sem limites tendem a desenvolver a “Síndrome do Imperador”. Crianças “imperadoras” são mandonas, ditadoras e exigentes. Determinam através do seu comportamento tirano os padrões de comportamento da casa. Impõem as regras que todos deverão seguir. Escolhem a comida, o canal da televisão, onde a família irá passar férias, a hora que vai dormir, etc. Se seus caprichos não forem cumpridos, pegam birras, se comportam de maneira inadequada ou até agridem. 

- Regras claras e disciplina na casa - os pais precisam estar atentos à rotina dos filhos e vigiar a execução da mesma. Dessa forma, a criança aprenderá a cumprir regras, a lidar com a frustração e a desenvolver o senso de responsabilidade. 

- Respeitar a individualidade do filho - os pais precisam estar atentos ao fato de que os filhos não são eles. Portanto se faz necessário não impor ao filho a expectativa de trilhar sua mesma carreira ou repetir sua mesma história.

- Adolescência - um momento complicado; os pais precisam entender que é transitória e difícil para o adolescente também. Nesta fase o filho sentirá muito sono, muita fome, preferirá os amigos aos pais. Pela insegurança tenderá a aumentar a vontade de consumir artigos de grife. O celular será o item mais importante e a maioria das coisas será secundária. Passará horas trancado no quarto. Administrar isso com paciência faz parte da arte de educar. 

Como nos lembra o filósofo Aristóteles: “A educação tem raízes amargas, mas os seus frutos são doces”.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários