Como manter a saúde mental

Simone Demolinari / 07/11/2019 - 06h00

Dia desses recebi uma mensagem que dizia: “luxo é ostentar saúde mental”. A impressão que temos é que estamos cada vez mais vulneráveis. De fato, nos manter lúcidos hoje não é fácil. A sociedade está cada vez mais competitiva, valorizando a aparência, a imagem, o ter. Os ambientes profissionais permeados por disputas, ameaças e cobranças excessivas. Clima familiar, muitas vezes, tenso, sem acolhimento, com muitas críticas e negatividade. Somado a isso, outras questões que geram preocupação como dificuldade financeira, violência urbana, etc. Tempos difíceis. 

Sofremos uma pandemia de ansiedade. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o país tem o maior número de pessoas ansiosas do mundo: 18,6 milhões de brasileiros (9,3% da população) convivem com esse transtorno. O relatório, de março deste ano, indica que a ansiedade é a segunda doença mais comum, depois da depressão. A entidade também revelou que o Brasil ocupa o topo do ranking em tempo de convivência com a incapacidade provocada por transtornos psicológicos. Para piorar, não é a primeira vez que ocupamos essa posição: em 2017, o Brasil ganhou o título de “país mais ansioso do mundo”. Vamos de mal a pior. 

É dentro dessa realidade que precisamos nos manter mentalmente saudáveis. Como fazer isso? Apesar de não estarmos imunes às patologias, algumas atitudes podem melhorar consideravelmente nossa qualidade de vida, tais como: 

1- Cuidados com a saúde física: fazer exercícios, ter uma alimentação saudável, prezar pela qualidade do sono, respeitar o limite da capacidade de trabalho, não abusar do álcool, não usar drogas. Sabemos que uma mente equilibrada funciona melhor num corpo saudável.
2- Abandonar a personalidade controladora: aceitar as condições sobre as quais não temos controle, o que inclui de familiares inconvenientes a grandes tragédias. Aceitar não significa concordar, e sim entender que não conseguimos mudar as coisas nem o outro. 
3- Valorizar o momento presente: estar atento para não sacrificar totalmente o hoje em nome do amanhã. 
4- Evitar atritos: duelar o tempo todo gera um constante desgaste emocional. Pessoas de natureza conflituosa tendem a ficar com raiva de tudo e de todos. Fazem da briga uma forma de defesa. É preciso se livrar, o mais rapidamente possível, de sentimentos ruins. Cultivar raiva é desperdiçar vida.
5- Perder a mania de querer agradar todo mundo: não significa que você precisa ser ríspido, mas viver com medo de desagradar o outro é viver num cárcere social. 
6- Cercar-se de pessoas positivas: a vida melhora quando nos afastamos de pessoas confusas e negativas que criam um clima de medo e tensão. 
7- Estabelecer relações justas: quando “dar e receber” ocorre na medida certa. A boa relação é aquela em que ninguém dá mais que ninguém e ambas as partes se sentem recompensadas. 
8- Ser resolutivo: conseguir resolver os conflitos à medida em que eles aparecerem e não deixar acumular problemas debaixo do tapete. A procrastinação é um poderoso combustível para ansiedade.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários