O que estamos aprendendo com o isolamento?

Simone Demolinari / 06/04/2020 - 06h00

Estamos passando por um momento tão atípico que nada mais cabível que desenvolver a nossa serenidade para conseguirmos passar, com equilíbrio psíquico, por essa crise que a vida forçosamente nos impôs. 
Fiz uma sondagem entre amigos e pacientes sobre qual o aprendizado desse momento, e algumas respostas foram:

1- Serenidade: Há uma conhecida prece chamada “oração da serenidade”, que diz: “ Senhor, concedei-me, a serenidade necessária para aceitar as coisa que não posso modificar, coragem para modificar aquelas que posso e sabedoria para conhecer a diferença entre elas. Vivendo um dia de cada vez”

2- Aprender que não temos controle sobre quase nada: aceitar as condições nas quais não temos controle. Isso inclui aceitar desde familiares inconvenientes, até grandes tragédias. Aceitar não significa concordar, e sim entender que não conseguimos mudar as coisas e nem o outro, nem as intercorrências da vida. 

3- Deixar de olhar para o próprio umbigo: muitas vezes damos importância exagerada a nós mesmos. O egocentrismo nos faz megalômanos:  sentimos como se o mundo girasse ao nosso redor e acreditamos que somos mais importantes do que realmente somos. Com isso, nos ofendemos quando o outro não nos trata conforme achamos que merecemos. Uma afronta ao ego. 

4- Equilíbrio emocional para lidar com a incerteza: manter o equilíbrio é uma competencia que esta ligada à capacidade de administrar as emoções. É o domínio da razão sobre a emoção.  Avançar nesse sentido significa aceitar o sentimento de impotência que deriva dos desejos e expectativas não realizadas. Quando aprendemos a gerir nossas emoções, temos como resultado um estado emocional estável, na alegria, na dor ou na crise. 

5- Percebendo o valor do meu trabalho e reclamar menos: quando estamos no piloto automático não temos tempo para ver a parte boa. Somente reclamamos daquilo que nos falta. Uma lastima! 

6- Ser menos consumista e viver com pouco: a expressão “todo excesso esconde uma falta” tem sua razão de ser. O consumir exageradamente pode revelar uma tentativa de obter prazer para compensar um aspecto da vida que não vai bem. Porém, este prazer é efêmero e logo vem a necessidade de consumir mais. Um buraco sem fundo que só traz frustração e revela o descontrole sobre si mesmo. 

7- Ser paciente: num momento onde não há o que fazer, precisamos ser pacientes e, paciência pressupões aceitar com docilidade aquilo que não está em nossas mãos. Paciência tem a ver com paz e não com revolta. 

8- Apreciar as coisas simples e colocar a vida em dia: o por do sol, a musica, o cafe da manha demorado, a casa arrumada. A vida em ordem, a leitura em dia. 

9- Procurar os amigos antigos: com tempo livre conseguimos aproximar de quem deixamos em segundo plano. 

Eu, particularmente, aprendi a vencer o preconceito da tecnologia e trabalhar on line. Foi uma grata surpresa. 

Sempre há o que aprender. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários