O que significa 'ser feliz'?

Simone Demolinari / 14/03/2019 - 06h00

Costumamos pensar que a felicidade mora longe ou que pessoas felizes já nasceram assim. Mas isso não é verdade. Pessoas consideradas “felizes” lutam diuturnamente para manter-se assim. 

Há muitos mitos sobre felicidade e um deles é que ela reside em grandes eventos. É preciso repensar isso. Um estudo feito em 1978 e divulgado pelo Jornal of Personality and Social Psychology comparou os níveis de felicidade de pessoas comuns com os de ganhadores na loteria no ano anterior. A conclusão foi surpreendente. Os pesquisadores descobriram que os níveis eram praticamente idênticos. A felicidade ocorria num primeiro momento de forma intensa; porém não tinha durabilidade. É como se tivesse um prazo de validade para acabar. 

Com isso, outro mito que se quebra é o do dinheiro versus felicidade. Felicidade é algo interno. Tem a ver com a sensação de bem-estar, serenidade, autoconfiança, autoestima e sentimento de paz interior. 

Pessoas com alto grau de felicidade cultivam hábitos que as fazem felizes todos os dias, como por exemplo:

– Pensamento positivo: os otimistas sempre pensam que as coisas boas superam as ruins. São dotados de positividade alicerçada em fortes valores internos. Conseguem ver a oportunidade na dificuldade. São positivos e confiantes, mesmo quando inseridos num cenário desfavorável. 

– Buscam evolução pessoal: evoluir significa dominar as emoções negativas: irritabilidade, impaciência, ansiedade, estresses. Quando conseguimos triunfar, nos tornamos pessoas mais fortes, com mais autonomia e blindagem emocional que nos protege do sofrimento. 

– Amor próprio: já diz o ditado “quem ama, cuida”. Há pessoas que cuidam muito bem do outro, mas pessimamente de si. Vale ressaltar que amor próprio é diferente de egoísmo. Amar tem a ver com respeito por si. 

– Praticam atitudes construtivas: isso significa ter disciplina para atingir os objetivos, cuidar da saúde do corpo e da mente, abandonar vícios (tanto os físicos quanto emocionais), saber se posicionar, aprender a dizer “não”, conseguir se afastar de pessoas tóxicas, vencer os maus hábitos.

– São resolutivas: resolvem o problema na medida em que ele aparece. Antecipar problema gera ansiedade; resolver depois, gera procrastinação. Quem é ansioso antecipa tudo; quem é procrastinador, empurra tudo para depois; no fundo, nenhum dos dois está satisfeito com sua conduta. Um sente-se extremamente agitado, enquanto o outro, preguiçoso e irresponsável. Ter maturidade emocional significa ter serenidade para lidar com os problemas. 

– Relaxam: dormir bem é fundamental para felicidade. Pessoas que não dormem o suficiente sentem falta de energia, ficam deprimidas, irritadiças, perdem a concentração, apresentam maior frequência de doenças infecciosas e envelhecem mais rapidamente. O cansaço é inimigo da felicidade. 

A felicidade não está tão longe quanto imaginamos e muito menos nos bens materiais. Como nos lembra o filósofo Schopenhauer, “nossa felicidade depende muito mais do que temos nas nossas cabeças, do que nos nossos bolsos”. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários